Irão usa mineração de criptomoedas para diminuir o impacto das sanções, segundo estudo

O Irão minera cerca de 4,5% de toda a criptomoeda disponível no mundo. Esta atividade permite ao país ganhar centenas de milhões de dólares que podem ser usadas para comprar produtos importados e diminuir o impacto das sanções, concluiu um estudo da Elliptic, empresa de análise de blockchain.

Ao nível atual de mineração, a produção de criptomoeda do Irão equivale a uma receita próxima de 1 bilião de dólares por ano. Embora os números exatos sejam “muito difíceis de determinar”, as estimativas são baseadas em dados recolhidos de mineradores de bitcoin pelo Cambridge Center for Alternative Finance até abril de 2020, e declarações da empresa estatal de produção de energia do Irão.

“O Irão reconheceu que a mineração de bitcoin representa uma oportunidade atraente para uma economia atingida por sanções que sofre com a falta de dinheiro vivo, mas com um excedente de petróleo e gás natural”, constata o estudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin