Maior parque eólico offshore do mundo já produz energia

O parque eólico offshore Hornsea 2 já começou a produzir energia, referiu a empresa de energia dinamarquesa Orsted em comunicado.

Situado a cerca de 89 quilómetros da costa leste do Reino Unido, o parque Hornsea 2 tem um estrutura considerável estando distribuído por uma área de 462 km², com 165 turbinas da Siemens Gamesa e capacidade para mais de 1,3 gigawatts. A empresa afirma que abastecerá “bem mais” de 1,3 milhões de residências quando estiver totalmente operacional

O projeto gerou a sua primeira energia na noite de sábado. De acordo com Orsted, o Hornsea 2 assumirá o título de “maior parque eólico offshore em operação do mundo” quando estiver totalmente operacional em 2022. A empresa também descreve o Hornsea 2 como o “maior parque eólico offshore do mundo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin