Vida

UNICEF envia 6 toneladas de materiais para apoiar a China na resposta ao coronavírus

UNICEF

Um carregamento da UNICEF com máscaras respiratórias e roupas de protecção para profissionais de saúde chegou no dia 29 de janeiro a Shanghai, na China, com o objectivo de apoiar a China na resposta ao mais recente surto de coronavírus.

Com cerca de 6 toneladas, os materiais foram enviados pela Divisão de Abastecimento global da UNICEF em Copenhaga e vão ser enviados para Wuhan. Durante os próximos dias e semanas, a UNICEF vai continuar a enviar mais materiais.

O coronavírus está a espalhar-se a uma velocidade muito rápida e é importante reunir recursos para impedir a sua propagação”, disse Henrietta Fore, Directora Executiva da UNICEF. “Podemos não saber o suficiente sobre o impacto do vírus nas crianças ou quantas já foram afectadas – mas sabemos que é fundamental monitorizar e prevenir.”

Até à data, quase 6000 pessoas foram infectadas e os números estão a aumentar rapidamente. A maioria dos casos são na China e há relatos de infecções entre crianças.

A UNICEF está em contacto com as autoridades chinesas, incluindo o Ministério do Comércio e a Comissão Nacional de Saúde, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e outras agências das Nações Unidas para acompanhar os desenvolvimentos e avaliar as necessidades à medida que a situação evolui.

Para além disso, a UNICEF está a trabalhar com a OMS e os seus parceiros para apoiar – de forma coordenada e multi-sectorial – a China e outros países afectados.

O coronavírus é transmitido por contacto directo, através de tosse e/ou espirros e pelo contacto com superfícies contaminadas com o vírus. Os sintomas incluem febre, tosse, falta de ar e dificuldades respiratórias. Nos casos mais graves, a infecção pode causar pneumonia, síndrome respiratória aguda grave (SARS), insuficiência renal e até morte.

Para evitar o risco de transmissão deve-se:

– Lavar as mãos, com frequência, com gel anti-bacteriano, ou sabão e água;

– Tapar a boca e o nariz antes de tossir ou espirrar;

– Evitar o contacto próximo com qualquer pessoa que tenha febre e tosse;

– Pedir assistência médica atempada em caso de febre, tosse e dificuldade em respirar, e partilhar o histórico de viagens com o médico;

– Evitar contacto directo sem protecção com animais vivos e superfícies que estejam em contato com animais.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo