Brasil | Exclusivo

Brasil – Eleições Municipais. Faltam pouco mais de duas horas para término das eleições municipais no Brasil.

Os brasileiros estão hoje, domingo, dia 15, a votar para as eleições municipais. Esta é a primeira volta do já considerado “maior pleito municipal já realizado no Brasil”. Centenas de candidatos são lusodescendentes, conforme informou a e-Global ao longo das últimas semanas. Às 20h de Portugal Continental as seções eleitorais fecham as portas e os votos começam a ser contabilizados.

Até este momento, as eleições ocorrem com tranquilidade nas principais cidades brasileiras. Cerca de 13 candidatos foram presos por propaganda eleitoral ou tentativa de compra de votos. Algumas das principais zonas eleitorais do país contam com filas, em virtude da afluência dos eleitores às urnas. No Brasil, o voto é obrigatório.

No Rio de Janeiro, a candidata a prefeita e lusodescendente, Martha Rocha, votou logo pela manhã, na Escola Municipal General Euclydes de Figueiredo. Horas antes da votação, uma sondagem eleitoral mostrou queda nas intenções de voto para a candidata.

Por sua vez, o presidente da República do Brasil, Jair Bolsonaro, votou pouco depois das 10h da manhã, na Escola Municipal Rosa da Fonseca, dentro da Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio, sob forte esquema de segurança.

Resultado anunciado em “poucas horas”

Os Boletins de Urna das Eleições Municipais de 2020 começarão a ser emitidos a partir das 17h, horário de Brasília (20h em Portugal Continental), quando ocorre o encerramento da votação deste domingo. A partir desse horário, serão divulgados os resultados das votações para todos os cargos, incluindo os votos em branco, os nulos e as abstenções verificadas.

Números que dão dimensão ao tamanho do Brasil

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão responsável por realizar e fiscalizar os pleitos eleitorais no Brasil, apontam que 147,9 milhões de eleitores estão aptos a participar nas Eleições Municipais 2020. As mulheres representam a maioria do eleitorado: 52,49%. Já os homens representam 47,48%. Ao todo, 556.033 candidatos disputam o voto do eleitor. Desses, 518.326 são para o cargo de vereador, 19.346 para o de prefeito e 19.721 para o de vice-prefeito. Um total de 473.503 urnas eletrónicas serão utilizadas nesta primeira volta. Após levantamento do TSE, é possível dizer que 66,4% dos candidatos são do sexo masculino e 33,6% pertencem ao sexo feminino.

Os eleitores votam em 5.567 municípios, apenas não haverá votação no Distrito Federal e em Fernando de Noronha, em Pernambuco. Os eleitores de Macapá, no Amapá, também não irão às urnas neste domingo, mas a cidade deverá realizar eleição ainda este ano, segundo o TSE. O adiamento do pleito em Macapá foi determinado por esse Tribunal, em atendimento a um pedido do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amapá, devido às restrições no fornecimento de energia no estado, que começaram na semana passada após um apagão gerado por um incêndio numa subestação.

Segundo apurámos, 613 localidades receberão o auxílio da Força Federal para a realização desta primeira volta, conforme aprovado pelo TSE.

“A medida visa auxiliar na segurança e na manutenção da ordem pública em algumas localidades dos seguintes estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins”, informou o Tribunal.

Proteção contra o coronavírus

Para mostrar à população brasileira que as eleições deste ano são seguras em termos sanitários, como forma de evitar infeções com o Covid-19, duas comissões e uma consultoria foram estabelecidas pelo TSE para apoiar a Justiça Eleitoral nas decisões sobre o adiamento e a realização das Eleições Municipais 2020 diante do avanço do coronavírus.

Foram criadas uma comissão médica com vários especialistas, incluindo sanitaristas e epidemiologistas, e biólogos, uma comissão de estatísticos, com funcionários do TSE e professores do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), da Universidade de São Paulo (USP) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e uma consultoria sanitária integrada pela Fiocruz e pelos Hospitais Sírio-Libanês e Israelita Albert Einstein.

“O Plano de Segurança Sanitária das Eleições 2020, com todos os procedimentos e protocolos destinados à proteção de mesários, eleitores, candidatos e colaboradores da Justiça Eleitoral, foi elaborado a partir dessa consultoria”, destacou o TSE.

Foram destinados nove milhões de máscaras, dois milhões de protetores faciais e dois milhões de frascos individuais de álcool em gel para a proteção dos mesários, como são chamados os cidadãos que, voluntariamente, trabalham nas seções eleitorais nos dias de votação.

E, para a proteção dos eleitores, foram colocados um milhão de litros de álcool em gel para higienizar as mãos na entrada e na saída das seções eleitorais. Somam-se, a tudo isso, dois milhões de adesivos para marcação no chão do distanciamento físico e 500 mil canetas. Esse foi o quantitativo de itens de segurança doados por 37 empresas e instituições que atenderam ao chamado do Tribunal e se uniram à Justiça Eleitoral para a realização do pleito “de forma segura, com tranquilidade para eleitores e mesários”.

“Não foi gasto nenhum recurso público, graças a essas parcerias público-privadas. (…) Pretendemos que o pleito seja realizado de forma segura e transparente, garantindo o pleno exercício da democracia dos eleitores, mesmo no contexto da pandemia de Covid-19”, garantiu o TSE.

Ígor Lopes

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo