Brasil | Entrevista | Exclusivo

Brasil: Lusodescendente candidata a vereadora para “mudar São Paulo”

Maria Passarello

Maria Geralis Soares Lima Passarello é candidata à vereadora pela cidade de São Paulo. Esta lusodescendente, que tem 62 anos de idade e atua como advogada militante, empresária, mediadora e conciliadora, garante que com a sua candidatura pretende “mudar São Paulo”.

Em conversa com a nossa reportagem, Maria Lima Passarello falou sobre a motivação em tentar uma vaga na Câmara Municipal de São Paulo, ressaltou os desafios que acredita encontrar no caminho, defendeu ações específicas para a cidade e classificou como “negativa” a gestão de Bruno Covas, atual prefeito de São Paulo.

O que está a motivar a sua intenção em se candidatar à Câmara Municipal de São Paulo?

A minha motivação para candidatura à vereadora, é mudar São Paulo, com a minha experiência como advogada, que sempre escutei pessoas, tentando ajudar nos seus problemas pessoais, patrimoniais e sociais, ajudando no possível, e aprendi muito com o tempo. Ao decorrer dos anos, fiz a Faculdade de Direito, desde então sou advogada militante, desde 1982, na área cível, mas também atuando na Vara da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, continuei a utilizar a escuta ativa. Nos anos de 2016/18, fui Presidente da Comissão da Mulher Advogada na Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB/SP), na 125ª. Subseção de Santana, onde aperfeiçoei o dom de escuta ativa, fiz o curso de mediação e conciliação de conflitos em 2017, e aprendi técnicas aplicáveis para propagar a cultura da paz. Diante dessa experiência de vida, e por ser mulher, posso fazer a diferença como vereadora, sendo a ponte, o caminho, a voz do povo com persistência e trabalho.

Que desafios os próximos vereadores de São Paulo terão numa época pós-pandemia?

Os vereadores terão vários desafios na pós-pandemia, como a incerteza da vacina, desemprego, reativar a economia, a volta do funcionamento das Escolas Municipais, fiscalização das normas de higiene contra o covid-19, fiscalização da Rede Pública Municipal de Saúde e a saúde mental dos cidadãos.

Como o covid-19 está a impactar a cidade de São Paulo?

A Covid-19 está impactando São Paulo, principalmente na economia, empresas fechando e com alto índice de desemprego.

Que planos tem para a cidade?

Os planos que tenho para São Paulo é fazer o meu papel como vereadora, trabalhando pelo povo e para o povo: escutar o cidadão, participar nos problemas do município, fiscalizar despesas financeiras e orçamentaria da Prefeitura e elaborar Projetos de Lei.

Em que áreas pretende atuar com maior atenção?

Pretendo atuar com mais atenção nas áreas da Saúde e Educação, com campanhas e ações de Combate à Violência de Género, Crianças, Adolescentes e Idosos na capital do Estado de São Paulo.

O que defende ser preciso para melhorar a cidade?

Para melhorar a cidade defendo a fiscalização das ruas e praças: – acessibilidade de pessoas deficientes e idosos nas passadeiras; – passeios com condições que se possa andar; – fiscalização das condições ambientais das escolas; – fiscalização das condições de funcionamento da Saúde no atendimento da rede municipal, como Hospitais Públicos Municipais, Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Assistência Médica Ambulatorial (AMA). Cuidado nos Parques e Ruas, fiscalizando a higiene e podar árvores. Incentivando atividades em Parques para as nossas crianças e idosos com atividades de yoga e horticultura.

Como pretende atuar em favor da cidade?

Pretendo atuar em favor da cidade cumprindo a minha função de vereadora, como dispõe a legislação, com honestidade, trabalho, escutar o cidadão e fazer Projetos de Lei em prol do cidadão paulista.

O que é necessário para cuidar dos paulistanos?

Para cuidar dos paulistanos é necessário ser uma pessoa que trabalhe para o povo e pelo povo, escutando o cidadão, fiscalizando os gastos municipais e levando os projetos de Leis para o legislativo em prol do cidadão, melhorando a capital de São Paulo.

Como enxerga os atuais problemas de corrupção no estado de São Paulo?

Enxergo como má administração do dinheiro público e fiscalização.

De que forma a política nacional, ou seja, o governo Federal, deve olhar para a cidade de São Paulo?

O Governo Nacional deve olhar São Paulo e ajudar com incentivo fiscal e financeiro, é o coração do país e o maior estado brasileiro. Gera empregos e oportunidades para todos os brasileiros e estrangeiros.

Ser político no Brasil é hoje visto de forma crítica e negativa por parte da população, já que políticos estão a ser responsabilizados por má gestão e corrupção. Essa informação prejudica a sua intenção em se candidatar?

Essa informação de má gestão e de corrupção de políticos não prejudica a minha intenção de ser candidata, porque sou uma pessoa íntegra e honesta.

Vai concorrer por qual partido? Qual é a orientação do seu partido?

Vou concorrer pelo PMN – Partido de Mobilização Nacional –, pois fui convidada pelo presidente estadual do partido, João Francisco Garcia, durante a pandemia do Covid-19, em março. A orientação que tive do partido é que fizesse a campanha com a transparência que sou como pessoa.

Como avalia a gestão do prefeito de São Paulo?

 Avalio de maneira negativa a gestão do prefeito de São Paulo.

Quais são as suas ligações a Portugal?

As minhas ligações com Portugal vêm do meu tataravô, Soares, mas nunca pesquisei a árvore genealógica. Tenho muitos amigos portugueses e filhos.

Que imagem tem de Portugal?

Eu tenho a imagem de um país calmo, sem poluição, com população maior de idosos e com segurança.

Que locais prefere nesse país europeu?

Não viajei para Portugal ainda, só conheço países latinos, mas o meu filho esteve em Portugal e adorou. Pelas fotos que ele me mostrou, gostei muito de Lisboa.

Tem alguma interação com a comunidade ou cultura de Portugal no Brasil, em São Paulo?

Tenho colegas advogados que pertencem à comunidade Gebelinense de São Paulo.

Ígor Lopes

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo