Entrevista ao novo Embaixador de Portugal na Suiça

Novo embaixador de Portugal na Suíça, Júlio Vilela vai apostar em “empreender e intermediar contactos e iniciativas”

Júlio José de Oliveira Carranca Vilela tem 59 anos de idade e é, desde 6 de janeiro deste ano, o novo embaixador de Portugal na Suíça. Natural de Lobito, na Angola, este diplomata foi diretor geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas, em Lisboa, entre setembro de 2016 e novembro de 2021, antes de chegar à Suíça.

Segundo este responsável, durante a sua gestão no país helvético irá privilegiar a elevação do nível da relação bilateral, promover o comércio e investimento recíprocos, melhorar a atenção consular à comunidade portuguesa e manter viva a língua e a cultura portuguesas.

Qual é o sentimento de ser hoje o novo embaixador de Portugal na Suíça?

Estou particularmente honrado pela decisão de Sua Excelência o Presidente da República, sob proposta do Governo, e tudo farei para representar condignamente o Estado Português, valorizando e contribuindo para o reforço da relação bilateral com a Suíça, que data do século XIX.

Que informações tem da comunidade portuguesa no país helvético?

A comunidade portuguesa na Suíça, a terceira maior comunidade estrangeira do País, radicada há já dezenas de anos, tem granjeado o respeito e admiração por parte das autoridades locais, constitui um ativo essencial de Portugal na representação e divulgação da nossa cultura e história, e um importante valor acrescentado para a economia portuguesa e também suíça.

Como pretende trabalhar a ligação bilateral entre Portugal e a Suíça?

Procurarei empreender e intermediar contactos e iniciativas, designadamente no âmbito político, cultural, económico, de inovação e turismo, tendentes a reforçar os laços que unem as duas nações, pois a cooperação já existente revela indicadores potenciais para ser alargada. Neste âmbito de ação, não deixarei de manter contacto estreito com a comunidade portuguesa aqui radicada, essencial para visibilidade do nosso país, para a defesa e promoção da nossa língua (o segundo idioma estrangeiro mais falado depois dos quatro idiomas oficiais do país) e instrumento importante no plano comercial e económico.

Como os dois países devem trabalhar no sentido da aproximação cultural e social dos seus cidadãos?

A relação entre os dois países deve manter-se viva e dinâmica, quer no quadro dos acordos entre a UE e a Suíça, quer no plano bilateral. Neste último, são particularmente importantes os esforços de Portugal em atrair investimento direto suíço, num quadro de diálogo permanente, franco e aberto sobre todas as questões que suscitem o interesse dos agentes económicos e sociais dos dois países.

Qual o papel do movimento associativo português na Suíça?

O movimento associativo português na Suíça teve e deve continuar a revelar um papel importante, quer na manutenção das tradições culturais portuguesas, quer na dinamização de novas formas de integração dos mais jovens nas suas atividades. As associações devem refletir sobre que ações e objetivos devem privilegiar no século XXI, como projetar o seu futuro num país onde as novas gerações de portugueses já nasceram na Suíça e como se afirmarem de forma mais ativa na vida política e social local.

Neste momento, estamos próximos da realização de novas eleições pelo círculo europeu. O que espera deste novo pleito?

Espero que ocorra uma forte adesão dos portugueses à votação, tal como já havia sucedido em janeiro último, e em que a comunidade portuguesa na Suíça aumentou substancialmente a sua participação em comparação com o ocorrido em 2019.

Muitos portugueses na Suíça falam sobre dificuldades diante dos serviços consulares de Portugal na Suíça. Tem já informações neste sentido? Como pretende atuar junto dos consulados?

As dificuldades sinalizadas têm sobretudo a ver com o contacto com a rede consular e o agendamento de atendimentos presenciais. Sobre esta matéria é importante frisar que toda a rede coloca à disposição de qualquer nacional mecanismos práticos e simples para o agendamento através da plataforma disponível no Portal das Comunidades. É muito importante que os cidadãos se apercebam que o pré-agendamento é o melhor mecanismo para atendimento, pois confere ao cidadão a possibilidade de escolher os dias e horas a que quer dirigir-se ao posto e confere a este a previsibilidade de atendimentos expectáveis em cada dia, organizando melhor a sua estrutura. Faz-se também notar que hoje em dia há múltiplos assuntos que já não requerem uma deslocação ao serviço consular. É, por isso, importante que os cidadãos se preocupem em informar-se bem quer através das páginas internet daqueles, quer por consulta ao portal ePortugal, onde constam informações de marcada importância para facilitar o contacto administrativo com um serviço público. Renovar um cartão de cidadão, obter e usar a chave móvel digital, requerer a dispensa do dia de defesa nacional, solicitar um certificado de registo criminal, aceder à segurança social direta, registar o nascimento de uma criança até um ano de idade, obter uma certidão de registo civil ou de registo predial, são apenas alguns exemplos do muito que já se pode fazer desde casa, sem a necessidade de deslocação a um posto consular.

Pretende manter contato com os empresários portugueses locais?

Com certeza, e já iniciei contactos.

Pretende, igualmente, apostar na promoção da língua portuguesa nesse país estrangeiro?

Trata-se de matéria essencial e, por isso, a nova página da Embaixada na internet (https://berna.embaixadaportugal.mne.gov.pt/pt/) dá-lhe o devido destaque.

Quais são os seus objetivos?

Elevar o nível da relação bilateral, promover o comércio e investimento recíprocos, melhorar a atenção consular à comunidade portuguesa, manter viva a língua e cultura portuguesas.

Como está a ser a vida em Berna nestes primeiros dias?

Intensa e diversificada.

Quem é Júlio Vilela?

Licenciado em Direito (1985) e pós-graduado em estudos europeus pela Universidade de Lisboa (1987). Ingressei na carreira diplomática em junho de 1987. Servi em Caracas (1993-97), Barcelona (98-2001), Genebra (2005-09) e Toronto (2009-14). Fui Embaixador na Croácia (2014-16). Percorri as diferentes categorias profissionais da carreira tendo sido promovido a Embaixador em novembro de 2017.

Ígor Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: ADIN oficializa escritórios na cidade de Lichinga na província de Niassa.

Moçambique: ADIN oficializa escritórios na cidade de Lichinga na província de Niassa.

A Agência de Desenvolvimento Integrado do Norte-ADIN, oficializou recentemente, o seu escritório na cidade de Lichinga, na província nortenha de…
BRASIL: “As relações entre Brasil e Rússia são importantes, (…) mas não podemos dizer que são as mais relevantes”, afirma cientista política

BRASIL: “As relações entre Brasil e Rússia são importantes, (…) mas não podemos dizer que são as mais relevantes”, afirma cientista política

Em fevereiro, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, realizou uma visita oficial a Moscovo, onde foi recebido pelo presidente russo…
BRASIL: Rio de Janeiro com menos "mortes violentas"

BRASIL: Rio de Janeiro com menos "mortes violentas"

O estado do Rio de Janeiro apresentou, no primeiro mês deste ano, redução de 34% nas mortes violentas intencionais (soma…
BRASIL: Cartão Postal do Rio de Janeiro, Santuário Cristo Redentor inaugura novo confessionário a céu aberto

BRASIL: Cartão Postal do Rio de Janeiro, Santuário Cristo Redentor inaugura novo confessionário a céu aberto

No último dia 2 de março, o Santuário Cristo Redentor no Rio de Janeiro, local onde está um dos mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin