“Superamos a situação”, afirma a presidente da Câmara de Comércio, de Indústria e de Serviços Suíça – Portugal

Marina Prévost-Murier está há cinco anos à frente da presidência da Câmara de Comércio, de Indústria e de Serviços Suíça – Portugal (CCISSP), da qual é também fundadora. Localizada em Genebra, esta entidade promove a integração comercial entre a Suíça e Portugal.

A nossa reportagem conversou com Marina Prévost-Murier sobre os objetivos e as atividades da CCISSP, a conexão com as autoridades dos dois países e outras entidades e também sobre os benefícios a quem têm direito os associados desta Câmara de Comércio, de Indústria e de Serviços.

Qual é o nome oficial da entidade?
Chambre de Commerce D’industrie et de Services Suisse – Portugal; Industrie- Und Dienstleistungs Handelskammer Schweiz-Portugal; Camera di Commercio, Dell’industria e dei Servizi Svizzera-Portogallo; Chamber of Commerce, Industry and Services Switzerland – Portugal ou, em português, Câmara de Comércio, de Indústria e de Serviços Suíça – Portugal. A nossa entidade está registada em cinco idiomas no “Registre du Commerce du canton Genève”.

Quais são os objetivos da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços Suíça – Portugal (CCISSP)?
A Câmara de Comércio, de Indústria e de Serviços Suíça – Portugal (CCISSP) é um organismo suíço privado e independente, sediado em Genebra, sem qualquer vínculo com a embaixada de Portugal. A CCISSP é o mediador privilegiado entre as empresas privadas suíças e portuguesas, representando os interesses comerciais das empresas. Para tal, a CCISSP disponibiliza aos empresários membros todo o apoio logístico necessário para estabelecerem trocas comerciais sólidas e duradouras.

A CCISSP tem igualmente como missão a representação dos seus membros e a defesa dos respetivos interesses. Neste sentido, oferece assessoria personalizada, ajuda ao desenvolvimento da rede de contactos BtoB e BtoC e suporte para o desenvolvimento de projetos.

A Câmara de Comércio, Indústria e Serviços Suíça – Portugal está filiada à Rede Internacional de Câmaras de Comércio Portuguesas (RCCP) e tem também assento na Suíça no Comité da Association of International Chambers of Commerce (AICC). Os empresários e investidores associados beneficiam de um leque de serviços definidos para corresponderem às suas necessidades.

Tornar-se membro da CCISSP significa também poder beneficiar do acesso a um serviço personalizado em matéria de consultoria e de conhecimentos sobre as especificidades fiscais, comerciais e culturais da Suíça e de Portugal. Os serviços são fornecidos através de intervenientes altamente qualificados que conhecem perfeitamente a cultura de empresa e as regras económicas do seu país. Mais informações podem ser consultadas no site da Câmara de comércio: www.ccissp.ch

Qual é o vosso raio de ação?
Suíça e Portugal.

Que atividades desenvolvem?
Diversas, eis alguns exemplos: Missões Empresariais, organizações de jantares-debates, conferências temáticas, Networking Internacionalização, Organização de Feiras e exposições, além do Salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Portugal – Suíça. Ver site: www.siit-suisse.ch

Qual é o perfil dos vossos associados?
Empresários e investidores suíços e portugueses.

Contam com apoios governamentais?
Nenhum apoio financeiro por parte do governo.

Que eventos estão a realizar neste momento?
Somente para o mês de setembro, logo na primeira semana, recebemos uma comitiva de 21 suíços em Portugal e na terceira semana de setembro organizamos um evento “surpresa” na ONU.

Qual a agenda para os próximos meses?
Temos uma agenda para os próximos três anos.

A pandemia impactou as vossas atividades?
Obviamente, em 2020, mas já superamos a situação.

Quais são os vossos maiores desafios?
Impor a excelência de Portugal no mercado suíço.

O que as empresas associadas procuram na CCISSP?
Procuram apoio.

Como é feita esta aproximação entre o meio empresarial português e o suíço?
Criar pontes “sob medida”.

Que oportunidades os empresários portugueses encontram na Suíça neste momento?
São imensas as oportunidades e trabalhamos arduamente no terreno.

Quais os melhores setores para se investir na Suíça atualmente?
Muitos, mesmo muitos.

Existem empresas suíças associadas?
Atualmente, 69% das empresas associadas estão estabelecidas na suíças (de suíços ou de lusos) as outras, em Portugal.

Quais o critério para uma empresa se associar à Câmara?
O interesse pelos intercâmbios entre a Suíça e Portugal, e pagar quotas, claro.

Existem empresas suíças associadas? Se sim, que oportunidades elas buscam em Portugal?
Sim, 69% das empresas associadas são suíças. Buscam desenvolver a atividade das suas empresas e investir.

Quais as vantagens em se associar-se à entidade?
A Câmara de Comércio, de Indústria e de Serviços Suíça – Portugal abrange exclusivamente empresas registadas junto das Conservatórias do Registo Comercial dos respetivos países e das administrações do Estado. Os membros que aderem a CCISSP ganham uma visibilidade profissional e mediática através do site, dos eventos, das parcerias e do Networking.

Tornar-se membro da CCISSP permite uma evolução da sua rede de negócios e um acesso privilegiado aos seguintes benefícios: Integrar uma rede única de empresários e investidores interessados em trocas económicas entre a Suíça e Portugal; Encontrar, através de eventos, profissionais de todos os setores de atividade; Ter acesso prioritário a novas oportunidades de negócios nos mercados suíço e português; Manter-se informado sobre a atualidade económica e jurídica dos dois países; Participar em reuniões de informação sobre as especificidades fiscais, comerciais e culturais; Beneficiar do acesso ao business networking; Ter a sua empresa em destaque em eventos da CCISSP; Beneficiar de tarifas preferenciais nos serviços; Participar em jantares-debate temáticos com a participação de um convidado de honra; Poder utilizar o logótipo da CCISSP em todos os suportes de comunicação; Apresentar a sua empresa bem como a sua atividade na newsletter da CCISSP.

Ígor Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin