“Há um princípio constante: elevar e desenvolver Armamar”, explicou Augusto Azevedo

Augusto Azevedo é, atualmente, presidente da Comissão Política do Partido Social Democrata (PSD) de Armamar, cargo que ocupa, “honradamente”, há dois anos, desde outubro de 2020.

Ao longo de todo este período, este responsável diz ter atuado “sempre com o máximo empenho e não perdemos o foco dos pilares nevrálgicos da minha candidatura”, embora reconheça que algumas atividades partidárias foram prejudicadas pelos “constrangimentos da Covid-19, que alterou o funcionamento em todos os níveis da nossa ação”.

“Quando resolvi levar por diante a liderança do PSD de Armamar, alicercei a nossa ação nos seguintes pontos de atividade: vencer as autárquicas – para isso, assumi de forma clara e inequívoca o processo autárquico, onde procurei imprimir, conjuntamente com todas as estruturas e dimensões que compõe o PSD de Armamar, uma visão ampla, pragmática e experiente, acima de tudo, pois, como sabemos, este tipo de processos tem o seu grau de complexidade e exigência, e não há margem para erros”.

Refere ainda que “neste desafio, posso dizer que cumprimos em pleno com um sentimento de missão bem executada, mantivemos a união, a proximidade e soubemos desenhar uma estratégia vencedora. O PSD de Armamar continua a liderar o destino do concelho; fortalecer a base de militância – sempre entendi que uma estrutura com diversidade, participação de todos, tanto em qualidade como em quantidade, é um dos segredos para levar a bom caminho as vitórias. Uma militância forte é fundamental e esse objetivo alcançamos, pois temos, atualmente, mais do dobro dos militantes ativos (108), o que faz da concelhia de Armamar, em termos comparativos com outros concelhos de perfil idêntico, uma concelhia com um rácio de militantes demonstrador de uma atividade francamente positiva; dinamizar, renovar, integrar – desde a primeira hora,tive a convicção firme de que era necessário renovar e integrar, para atingir resultados ainda melhores. Por exemplo, este desiderato refletiu-se claramente na construção das listas das eleições autárquicas, em particular, na lista à Assembleia Municipal, onde mantivemos apenas um único membro da lista anterior e o resultado foi um aumento de representatividade. Há momentos que são oportunidades de restruturar e preparar o futuro, julgo que soubemos interpretar essa necessidade e avançamos para essa mudança de forma pacífica e harmoniosa. Um dos efeitos práticos foi também a integração no que toca à paridade. Nesta questão, em particular, não podia deixar passar vitória nas listas às Assembleias de Freguesia, onde o PSD Armamar venceu a primeira na freguesia da Folgosa do Douro, fruto de um trabalho paciente ao longo dos anos; e, por fim, reativar a JSD de Armamar / Grupo de trabalho da Assembleia Municipal – a reativação da JSD foi, para mim, uma aposta com um sentimento especial, fruto do meu passado como presidente da JSD, onde iniciei esta longa caminhada de dedicação às causas políticas mas acima de tudo, porque acredito que a juventude será sempre uma força motriz que nos permite alcançar objetivos de futuro condizentes com os seus anseios. Julgo que a fusão entre a experiência e a frescura das ideias da juventude, numa ótica de partilha e construção intergeracional, é ponto de avanço para se alcançar bons resultados”, explicou Augusto Azevedo.

A aproximação da atividade da Assembleia Municipal com o executivo municipal e com a estrutura do partido foi, segundo este político, “outra aposta ganha na criação do grupo municipal da Assembleia municipal”. Fruto desta iniciativa, existe hoje, de acordo com Augusto Azevedo, “uma dinâmica que reúne com regularidade, que permite desenvolver uma ação conjunta nas reuniões de preparação, permitindo aprofundar os temas com pluralidade”.

Confiança no partido

Augusto Azevedo diz manter com regularidade contacto com os eleitores no concelho, condição que lhe confere a possibilidade de apurar que “as pessoas de Armamar confiam no PSD local, sabem que a nossa atividade é desenvolvida a pensar neles e no desenvolvimento do concelho, a todos os níveis. Os resultados ao longo da história ditam essa confiança, se quisermos ver um exemplo mais recente, podemos avaliar o apoio nas últimas eleições autarquias de 2021. É um sinal inequívoco”.

“Quanto aos apoiantes do PSD, sejam militantes e simpatizantes, temos a tónica e o princípio de os valorizar, criamos condições para valorizar as suas opiniões e estamos sempre profundamente abertos a aumentar o diálogo. Como já referi, é primordial termos pluralidade na estrutura, pois, isso permite-nos tomar as melhores decisões. Estou convicto, pelo contacto diário que tenho com todas as frentes, de que Armamar continua a acreditar e a validar as propostas do PSD, como sendo as melhores e as mais credíveis”.

Azevedo recordou que algumas iniciativas visam, tão simplesmente, o convívio, ao encontro dos militantes, como o Magusto deste ano, que é “um momento que não me recordo se ter realizado anteriormente e já sou militante desde 1982”.

“Estes momentos promovem o fortalecimento das relações interpessoais”, adiantou.

Futuro e desafios

Augusto Azevedo sublinha que “a lógica da cadência histórica” é, no seu entender, “um desafio que deve ser sempre estimado e valorizado”.

“Entendo que o futuro se constrói de forma mais alicerçada quando preservamos as conquistas de forma integrada e contextualizada no tempo. Acho que as vitórias que temos vindo a somar ao longo dos anos nos inspiram para as vitórias que ainda ambicionamos. Há um princípio constante: elevar e desenvolver Armamar, e este é o mote e o desafio que está sempre atual. Tenho a honra e bastante orgulho de andar por cá (Armamar) nesta luta há 40 anos, sempre disponível para servir Armamar. Já desempenhei cargos partidários de âmbito local e distrital e, ao nível autárquico, estive em todas as frentes, Assembleia de Freguesia, Assembleia Municipal e Câmara Municipal, ou seja, sempre estive na linha da frente a ver o futuro acontecer. Todos sabem que defenderei o legado de vitórias do PSD em Armamar, bem como estou disponível para os desafios que o futuro nos coloca, com novas soluções, contanto, para isso, com quem quer fazer este caminho. Serei sempre parte da solução, nunca do problema, este sempre foi o meu espírito, e assim continuarei. Acho mesmo que podemos fazer um futuro construtivo com os melhores preparados, com os jovens, com os experientes, com quem verdadeiramente quer servir Armamar. Este é o desafio atual, desenhar o futuro”, mencionou Azevedo, que sugeriu, ainda, estar “ciente e firme que saberei, com a minha equipa, desenhar o futuro”.

Sobre as linhas de ação para os próximos tempos, o hoje líder do PSD na capital da maçã de montanha, alega que serão anunciadas “brevemente, no momento de apresentar a minha recandidatura às eleições agendadas para janeiro de 2023”.

“Farei questão de as apresentar em primeira instância aos militantes. Posso, apenas, revelar que a ação terá uma lógica construtiva para Armamar e para o seu futuro”.

Já no final da entrevista, Augusto Azevedo ressaltou que o seu partido tem “a plena consciência das problemáticas que já existem e outras que se avizinham”, como “a dificuldade em fixar e atrair população, a captação de investimento externo, a adaptação do setor primário para as alterações climáticas, dar condições para se desenvolver emprego qualificado, posicionar turisticamente o nosso concelho por forma a ser mais visitado no sentido de absorver o fluxo enorme de turistas que circulam pela região do Douro e naturalmente, o acompanhamento próximo ao setor social”.

Garantiu ainda que “o PSD de Armamar ambiciona constituir-se ainda mais como um agente de desenvolvimento económico e social, cultural e patrimonial. Queremos ser o ponto de encontro e a pedra basilar do futuro, estamos com essa ambição legítima”, confirmou.

Sobre a oposição, Augusto Azevedo foi mais além e destacou que deveria haver mais sinergias nas decisões políticas.

“Eu sou um democrata convicto e tolerante. A oposição em qualquer concelho, região ou no mundo deve ser construtiva, que acrescente valor, que desperte visão. Confesso que até achava positivo que a oposição não fosse tão instável, acho mesmo que não deveriam ter receio de se associar às propostas do PSD quando estas são benéficas para o concelho. Não é por serem oposição que têm de ser inventivos. O projeto de oposição é, atualmente, um vazio que acrescenta muito pouco, infelizmente. As pessoas sabem que o nosso partido é Armamar, acima de tudo. Trabalhamos diariamente, de forma empenhada, para os servir e para obter a sua confiança e julgo, convictamente, que estamos no bom caminho para continuar a liderar”, finalizou Augusto Azevedo.

Ígor Lopes

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Timor-Leste: Ramos-Horta fala sobre fragmentação no Brasil

Timor-Leste: Ramos-Horta fala sobre fragmentação no Brasil

O Presidente da República de Timor-Leste, José Ramos-Horta, esteve presente na tomada de posse do homólogo brasileiro, Lula da Silva,…
Moçambique e Guiné Equatorial fortalecem mecanismos de fiscalização

Moçambique e Guiné Equatorial fortalecem mecanismos de fiscalização

Moçambique e a Guiné Equatorial querem reforçar os mecanismos de fiscalização do Executivo, com o objetivo de averiguar os níveis…
Moçambique: Todas as escolas do distrito de Palma vão abrir no lectivo 2023,  garante administrador local 

Moçambique: Todas as escolas do distrito de Palma vão abrir no lectivo 2023, garante administrador local 

O administrador de Palma, João Buchili, garante que as autoridades estão a fazer de tudo para que todas as escolas,…
Brasil: Lula toma posse como presidente e faz discurso “emocionado”

Brasil: Lula toma posse como presidente e faz discurso “emocionado”

No dia 1 de janeiro, Luiz Inácio Lula da Silva tomou posse como presidente do Brasil, numa cerimónia, em Brasília,…