Exclusivo | São Tomé e Príncipe

STP: A primeira fábrica de água mineral em funcionamento

“Águas de Bom Sucesso”, uma fábrica de água mineral iniciou as suas atividades esta quinta-feira, cerca de 11 anos depois do arranque do projeto. A fábrica está instalada nas imediações da roça Monte Café no distrito de Mé-Zóchi, cerca de 20 quilómetros da capital.

 

O empreendimento tem a capacidade de produzir quatro mil garrafas de 1,5 litros por hora.

«Estamos orgulhosos em poder anunciar que a fábrica de água Bom Sucesso começou a sua atividade de produção”, disse o empresário líbio, Abdul Zareba, no ato inaugural.

«Vamos doravante beber água mineral do nosso país e não continuar a encher os barcos com contentores de água importada para vender no nosso mercado (…) Temos que inverter o ciclo [de importação], pensando doravante na exportação de água produzida em São Tomé e Príncipe», sublinhou o primeiro-ministro.

 

«Da mesma forma que nós comemos a banana produzida na nossa terra, respiramos o ar da nossa terra, vamos também pela primeira vez beber a água mineral com o rótulo de São Tomé e Príncipe», acrescentou Jorge Bom Jesus.

 

«O nosso objetivo é produzir uma água da alta qualidade e a um preço acessível para ser consumida por toda a população do país», referiu o investidor líbio.

 

Abdul Zareba perspetiva um aumento de capital e o alargamento da fábrica com objetivo de levar a água mineral produzida em São Tomé e Príncipe a vários países do continente africano e mesmo europeu.

 

«A exportação é um objetivo, mas tudo deve ser feito com cautela, para manter a alta qualidade do produto. Por isso, o primeiro objetivo será abastecer o mercado local, depois a exportação”, referiu o responsável.

 

O chefe do executivo de São Tomé e Príncipe disse que o governo tem como “objetivo primário a atração do investimento privado estrangeiro” e quer que a primeira fábrica de água mineral do país sirva de “atração” a outros investidores.

 

«Queremos colocar a tónica no setor privado para que haja crescimento económico. Encorajamos assim outros investidores noutras áreas a seguirem este exemplo», disse Jorge Bom Jesus.

 

O investimento de capital líbio, iniciado em 2009, é de mais de 2 milhões de euros. O projeto conheceu alguns sobressaltos, nomeadamente devido à situação de instabilidade na Líbia entre 2010 e 2011, o que retardou a sua concretização. Em 2012, a ideia foi retomada com a construção de um centro de tratamento e processamento de água nos arredores da Roça Monte Café.

 

A água é captada na comunidade de Bom Sucesso, a uma distância de sete quilómetros. A nascente está na vizinhança do jardim botânico de São Tomé.

 

A região é montanhosa e próxima da Lagoa Amélia, onde se encontra o maior lençol de água pura da Ilha de São Tomé. A qualidade da água processada na fábrica é avaliada constantemente por uma equipa de fiscalização.

 

O país finalmente tem uma unidade de produção de água “made in São Tomé e Príncipe”.

 

 

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo