África Subsaariana | Crise

Costa do Marfim: Candidato à presidência Guillaume Soro alvo de mandado de captura

Guillaume Soro | © Página oficial de Guillaume Soro | guillaumesoro.ci

Apenas 24 horas depois do presidente francês, Emmanuel Macron, deixar a Costa do Marfim a justiça marfinense lançou um mandado de captura internacional contra o antigo chefe rebelde, ex presidente da Assembleia Nacional (2012-2019), duas vezes primeiro-ministro, e candidato à presidência, Guillaume Soro.

Numa declaração na televisão, Richard Adou, Procurador-Geral da República de Abijan, disse que Guillaume Soro é acusado de “tentativa contra a autoridade do Estado e integridade do território nacional”. Segundo Richard Adou, Guillaume Soro é também alvo de uma investigação judicial relativa ao “desvio de fundos públicos” e “branqueamento de capitais” num valor estimado em 1,5 mil milhões de francos CFA, cerca de 2,25 milhões de Euros.

O mandado de captura contra Guillaume Soro acontece quando este candidato à presidência surge como o favorito nas eleições que devem ter lugar a Outubro de 2020. Inicialmente aliado ao actual presidente Alassene Outtarra, as relações entre o chefe de Estado degradaram-se progressivamente quando Guillaume Soro, quando ainda assumia a chefia do Governo e manifestou intenções de ser candidato à presidência, entrando assim em colisão com as ambições de Outtarra.

O mandado de captura contra Guillaume Soro é emitido no momento em que o candidato presidencial, após um longo período de ausência, deveria ter aterrado no aeroporto de Abidjan, e quando a polícia impedia os militantes do seu partido, “Gerações e Povos Solidários” (GPS) acolherem o candidato. Perante a ameaça detenção à chegada, o avião com Guillaume Soro desviou a rota acabando por aterrar em Acra no Gana.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo