África Subsaariana | Economia

GolbalData: Capacidade de refinação em África poderá aumentar 55% até 2024

A África verá seu potencial de refinação crescer 55% nos próximos quatro anos, de acordo com um relatório recente publicado pela GlobalData. Os países que impulsionarão esse crescimento são a Nigéria, Argélia e Egito.

A empresa britânica de análise de desempenho económico mundial, GlobalData, divulgou recentemente um relatório intitulado Refining Industry Outlook in Africa to 2024, que mostra que a capacidade de refinação em África deverá aumentar em cerca de 55% até 2024. A capacidade de processamento aumentará, assim, de 3,7 milhões de barris por dia em 2020 para 5,8 milhões de barris por dia em 2024.

Nigéria, Argélia e Egito

O relatório prevê que a Nigéria terá um papel importante neste progresso, contribuindo com 71% para o crescimento, 1,5 milhão de barris por dia a mais do que a atual capacidade de refinação do país.

“A Nigéria impulsionará o crescimento da capacidade de refinação na África, principalmente por meio de novos projetos de construção. As adições de capacidade vêm principalmente do projeto Lagos I, uma das maiores refinarias de petróleo do mundo, com capacidade de 0,7 milhão de barris por dia. Juntamente com Akwa Ibom III e Mashi, esses três projetos constituem as principais refinarias, que agregarão valor à capacidade de refinação do país até 2024”, comentou Amareswari Kanaparthi, analista de petróleo e gás da GlobalData, citado pela agência Ecofin.

Além da Nigéria, a Argélia também aumentará em 15% a capacidade de refinação do continente africano nos próximos quatro anos, colocando o país em segundo lugar nessa área. Isso será possível graças às três refinarias Hassi Messaoud III, Biskra e Tiaret, que terão uma capacidade de 110.000 barris por dia para a primeira e 100.000 barris por dia para cada uma das outras duas.

Ainda de acordo com a GlobalData, o Egito será o terceiro país adicionando cerca de 100 mil barris por dia à capacidade de refinação no mesmo período, graças à refinaria de Assiut II, e à expansão das refinarias de Alexandria e Mostorod II.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo