Angola: Abílio Numa e Raul Danda integram a nova direção da UNITA

Os membros da UNITA Abílio Kamalata Numa e Raul Danda, que concorreram recentemente às eleições para a liderança do partido e perderam o lugar para Adalberto Costa Júnior, integram agora a nova direção da formação política. Foi nesta terça-feira, 26 de novembro, que as figuras da direção tomaram posse no Complexo Sovsmo, em Viana.

Numa, que foi o terceiro candidato mais votado no XIII Congresso Ordinário da UNITA, ficando atrás de Costa Júnior e Alcides Sakala, foi nomeado e tomou posse como secretário nacional para os antigos combatentes e desmobilizados, auto-suficiência e treinamento doutrinário. Já Danda foi reconduzido no cargo de “primeiro-ministro do governo sombra da UNITA”, tendo ocorrido o mesmo com Diamantino Domingos Mussokola, que continua como secretário para a organização.

Por sua vez, Faustino Mumbika é o novo secretário para os assuntos eleitorais e Silvestre Gabriel Samy é secretário da presidência e chefe do grupo técnico para as autarquias locais. Marcial Dachala é o secretário para a comunicação e marketing e porta-voz do partido. Para adjunto na comunicação e marketing foi escolhido o jornalista Emanuel Bianco.

Rafael Massanga Savimbi, que deixa o cargo de secretário-geral adjunto para Virgílio Samussongo, é o novo secretário para as relações internacionais e comunidades. Araújo Kacyke Pena mantém o posto de secretário do património e António Urbano “Chassanha” trata das questões de auto-suficiência e projetos, enquanto Eugénio Ngolo Manuvakola é o representante do partido na Comissão de Homenagem às Vítimas dos Conflitos Políticos e Esteves Betatela Pena, também conhecido por “General Kamy”, é o inspetor-geral da formação política.

Armando Ndenguembuale ocupou a vaga deixada por Simão Albino Dembo na chefia do secretariado provincial da UNITA no Bengo e Simão Dembo tomou posse no cargo de vice-presidente do partido. O mesmo aconteceu no Huambo, que passa a ter Alcino Kuvalela “Jonas dos Santos” como secretário provincial, em substituição de Liberty Chiyaka, que agora chefia o grupo parlamentar da organização política.

Manuel da Costa Ekuikui é o novo secretário provincial de Luanda, em substituição de Álvaro Daniel, que tomou posse como secretário-geral. Salvador Poy Chiyesso é o secretário provincial da Lunda-Sul, preenchendo a vaga deixada por Virgílio Samussongo, que é agora secretário-geral adjunto.

O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, aproveitou a ocasião para exortar os novos membros da direção a deixarem os gabinetes para trabalharem entre a população, de forma a que o partido alcance o poder. “Não é só a campanha para as autárquicas que começa agora. Não é só a campanha para 2022 que começa neste momento. O que começa agora é a audição permanente das populações”, salientou.

O novo executivo é composto por 32 membros, 23% dos quais reconduzidos para as funções que exerciam no mandato anterior, no sentido da manutenção da estabilidade do partido. Entre esses integrantes, oito são mulheres e 66% têm idade inferior a 60 anos.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Angola: PR quer mais investimentos do setor privado

Angola: PR quer mais investimentos do setor privado

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, defendeu maiores investimentos privados norte-americanos, no âmbito da parceria estratégica. O objetivo…
Moçambique: Chang acusado de corrupção e de outros crimes

Moçambique: Chang acusado de corrupção e de outros crimes

O ex-ministro das Finanças de Moçambique, Manuel Chang, é acusado pelo Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC) de se…
Alemanha assina acordo de gás com Catar

Alemanha assina acordo de gás com Catar

A ConocoPhillips e a QatarEnergy assinaram nesta terça-feira, 29 de novembro, um acordo para exportação de gás natural liquefeito do…
Guiné-Bissau: Presidente Sissoco Embaló não permitirá desordem nem falsas crises

Guiné-Bissau: Presidente Sissoco Embaló não permitirá desordem nem falsas crises

O Presidente da República, Umaro Sissoco Embaló, afirmou que não permitirá a desordem nem falsas crises no país. O chefe…