Angola: Ativistas anunciam manifestações se não houver recontagem de votos

Ativistas angolanos apelaram nesta segunda-feira, 05 de setembro, à recontagem dos votos e à não validação dos resultados das eleições de 24 de agosto pelo Tribunal Constitucional.

Se a recontagem não acontecer, anunciaram, irão levar a cabo manifestações “ininterruptas”, avança o “Angola 24 Horas”. Tratam-se de ativistas das associações que integram o Movimento pela Verdade Eleitoral (Mover).

Segundo os mesmos, existem várias irregularidades no processo de preparação das eleições gerais angolanas e na votação. Os visados apelaram aos deputados para não tomarem posse, de maneira a não serem declarados “traidores da vontade coletiva”.

As reivindicações foram mencionadas durante um manifesto apresentado em Luanda. Nessa ocasião disseram à Comissão Nacional Eleitoral e ao Tribunal Constitucional para aceitarem “a vontade coletiva de recontagem dos votos e comparação das actas sínteses em posse de todas as entidades públicas e partidárias” antes de serem validados os resultados eleitorais.

De acordo com a acta de apuramento final das eleições gerais de 24 de agosto, o MPLA e o seu candidato, João Lourenço, foram vencedores com 51,17% dos votos. Em segundo terá ficado a UNITA, com 43,95%.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Timor-Leste: PIB não-petrolífero subiu 3,9% em 2022

Timor-Leste: PIB não-petrolífero subiu 3,9% em 2022

O Produto Interno Bruto (PIB) não-petrolífero de Timor-Leste cresceu 3,9% em 2022, de acordo com os dados provisórios do Ministério das Finanças. …
Brasil: Polícia vai investigar Bolsonaro por crimes durante a pandemia 

Brasil: Polícia vai investigar Bolsonaro por crimes durante a pandemia 

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos, disse que a corporação irá investigar eventuais crimes praticados durante o governo do…
Ucrânia: Economia caiu 30,4% devido ao conflito com a Rússia

Ucrânia: Economia caiu 30,4% devido ao conflito com a Rússia

A economia ucraniana baixou 30,4% em 2022. O motivo deve-se à invasão russa, iniciada a 24 de fevereiro.  Trata-se de uma…
Moçambique: Oposição quer posição firme do Governo sobre guerra na Ucrânia

Moçambique: Oposição quer posição firme do Governo sobre guerra na Ucrânia

A Renamo e o MDM, partidos da oposição com assento na Assembleia da República de Moçambique, exigem que o Governo…