Angola: Braço direito de João Lourenço pediu demissão

O ministro angolano e diretor do gabinete do Presidente da República, Edeltrudes Costa, colocou nesta quinta-feira24 de setembro, o cargo à disposição. É esperada agora a decisão do chefe de Estado, João Lourenço, sobre se aceita ou não o pedido de demissão. 

Tal acontece após terem vindo a público denúncias de alegados escândalos de corrupção e tráfico de influência de Edeltrudes Costa enquanto servidor público. Aos seus familiares o governante disse estar a ser alvo de uma campanha difamatória que atribuiu a grupos ligados à família do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos, tendo destacado Maria Luísa Abrantes, antiga companheira de José Eduardo dos Santos, como sua principal adversária. 

Entre os alegados escândalos consta uma empresa de consultoria do visado, a EMFC – Consulting, S.Aque terá sido contratada para modernização dos aeroportos cujo contrato, cedido inicialmente para a Roland Bergerfoi alegadamente assinado por João Lourenço em fevereiro de 2019. 

Segundo fontes próximas dPalácio Presidencial, há muito que João Lourenço tem recebido relatos desfavoráveis contra o seu principal colaborador, entre os quais uma denúncia divulgada pelo Serviço de Inteligência Externa a partir de Bruxelas, relacionada com esquemas dos diamantes. O Presidente terá mostrado reservas nas informações, provocando retração. 

Apesar dos relatos desfavoráveis, Edeltrudes Costa estimado por João Lourenço, com quem partilhará uma amizade de mais de 15 anos. O casal presidencial é padrinho de uma filha que Edeltrudes tem com uma sobrinha da primeira dama Ana Dias Lourenço. 

UNITA quer investigação a Edeltrudes Costa 

O maior partido da oposição em Angola já veio pedir que fosse feita uma investigação a Edeltrudes Costa. 

“Devemos fazer pressão e exigir que haja responsabilização criminal do diretor do gabinete do senhor Presidente da República”, defendeu o deputado da UNITA Nelito Ekuikui. 

Para o parlamentar, a luta contra a corrupção por parte de João Lourenço pode sair “beliscada” com o caso que envolve Edeltrudes Costa. “O senhor Presidente da República nunca esteve comprometido com o combate ao nepotismo, à fuga de capitais de Angola e ao saque do erário público. Não sai apenas abalado Edeltrudes Costa, como abala toda uma estrutura do senhor Presidente da Repúblicaobservou. 

Em circunstâncias normais, depois da denúncia feita, nós tínhamos que ter um despacho de exoneração e encaminhar o senhor para as instâncias de Justiça”, concluiu. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia e Rússia adiam negociações para esta quinta-feira

Ucrânia e Rússia adiam negociações para esta quinta-feira

As negociações entre a Ucrânia e a Rússia foram adiadas para esta quinta-feira, 03 de março.  A delegação ucraniana está…
Portugal agradece à Roménia apoio no repatriamento de portugueses e ucranianos

Portugal agradece à Roménia apoio no repatriamento de portugueses e ucranianos

O primeiro-ministro português, António Costa, manifestou publicamente ao Presidente da Roménia, Klaus Iohannis, a sua gratidão pelo apoio prestado na…
Guiné-Bissau: PGR quer vigilância acrescida a pessoas com enriquecimento anormal

Guiné-Bissau: PGR quer vigilância acrescida a pessoas com enriquecimento anormal

O Procurador-geral da República (PGR) pediu aos magistrados para estarem atentos às pessoas que procuram vias fáceis para enriquecer, às…
Moçambique: Oposição critica "silêncio" do Governo sobre invasão à Ucrânia

Moçambique: Oposição critica "silêncio" do Governo sobre invasão à Ucrânia

A Renamo e o MDM, partidos moçambicanos da oposição, condenam a invasão da Rússia à Ucrânia. Ambos criticam o “silêncio”…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin