Angola

Angola: CASA-CE quer revisão do processo de homicídio a militante

Líder da CASA-CE, André Mendes de Carvalho
André Mendes de Carvalho

A CASA-CE pediu às autoridades judiciais para que revissem o processo-crime movido contra os agentes da Unidade de Guarda Presidencial (UGP) pelo “assassinato”, há sete anos, do patrono da sua juventude, Hilbert Ganga. 

A coligação prestou homenagem ao malogrado nesta segunda-feira, 23 de novembro, e aproveitou a ocasião para pedir mais uma vez que seja feita justiça. 

colégio presidencial da CASA-CE considera que a revisão do processo “dará sentido moral e material” à máxima defendida pelo Presidente de Angola, João Lourenço. Recorde-se que, segundo o governante, ninguém é tão poderoso que não possa ser punido, nem pobre demais que não possa ser protegido”. 

Ganga terá sido, alegadamente, morto por elementos da UGP apóis ter sido detido enquanto colocava cartazes no perímetro da Presidência da República, em Luanda. Os mesmos eram alusivos ao desaparecimento e à morte de dois ativistas, Isaías Cassule e Alves Kamulingue. 

Ambos foram assassinados em 2012, altura em que tentavam organizar uma manifestação. O evento serviria para exigir do Governo de José Eduardo dos Santos o pagamento de salários em atraso e uma indemnização enquanto antigos membros da UGP. 

O autor que confessou os disparos que mataram Hilbert Ganga, Desidério Patrício Barros, foi inicialmente acusado pelo Ministério Público de homicídio voluntário e acabou por ser absolvido pelo Tribunal Provincial de Luanda em 2015. 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo