Angola: Contas bancárias da UNITA descongeladas após saída de Costa Júnior

As contas bancárias da UNITA terão sido descongeladas pelas autoridades no momento em que Isaías Samakuva reassumiu a liderança do maior partido da oposição em Angola, de acordo com fontes convergentes. 

Recorde-se que Adalberto Costa Júnior deixou de ser presidente da UNITA neste mês de outubro, devido ao acórdão n.º 700/21 do Tribunal Constitucional de Angola. Isto porque o referido órgão judicial anulou o XIII Congresso Ordinário, realizado em 2019 e de onde Costa Júnior saiu eleito dirigente. 

Oficiosamente, alegou-se que o congelamento das contas teria a ver com alegadas dívidas não honradas pela formação política a determinadas entidades que terão acionado os mecanismos judiciais. 

No entanto, a UNITA terá afirmado em círculos não oficiais que não foi notificada por nenhum tribunal acerca da referida sentença. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin