Angola: Costa Júnior pode ser substituído enquanto líder da UNITA

O general na reserva e deputado Paulo Lukamba é apontado como o possível novo presidente da UNITA, caso o Tribunal Constitucional de Angola decida invalidar o congresso que elegeu Adalberto Costa Júnior como presidente da formação política.

A informação foi avançada por uma fonte ligada à UNITA, que disse ainda que Lukamba tem estado na cidade do Sumbe, na província do Cuanza Sul, a reunir-se com o executivo provincial e municipal.

Paulo Lukamba já dirigiu a UNITA, em 2002, após a morte do presidente e fundador da UNITA, Jonas Savimbi, e até à eleição de Isaías Samakuva.

Costa Júnior acusa MPLA e João Lourenço

Entretanto, Costa Júnior manifestou-se novamente em relação à possibilidade de deixar o cargo de dirigente, ao denunciar a perseguição política do MPLA e do Presidente da República, João Lourenço, que, segundo o político, estão a manipular o Tribunal Constitucional para afastá-lo da liderança da UNITA.

“Estes são bem piores do que o anterior Presidente”, afirmou, fazendo assim menção a José Eduardo dos Santos. Costa Junior continua a ser acusado de ter dupla nacionalidade (angolana e portuguesa) na altura da eleição, algo que os estatutos do congresso “nem sequer proibiam”, disse.

A polémica ocorre dois anos depois da vitória de Costa Júnior na corrida à sucessão de Samakuva. Nessa altura, o Tribunal Constitucional validou os resultados do congresso.

“Este caso da UNITA é interessante, porque é o mesmo TC [Tribunal Constitucional] que legalizou [os resultados do congresso] que agora, quase na altura em que a campanha [para as eleições de 2022] está a começar, retoma um dossier com o objetivo de ilegalizar [o líder da oposição] e, ainda por cima, com o envolvimento de procuradores que nada têm a ver com o processo e com a publicação de pareceres escandalosamente desviados do direito”, disse o visado.

“Isto é um problema do carácter do regime, da democracia que este país não conhece. Está nos papéis, está nas nossas leis, mas não é praticada por uma geração de políticos que não conseguiu reformar as suas mentes e que tem trazido o país refém”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

O Instituto de Estudos Sociais e Económicos (IESE) considera que a Covid-19 não foi a principal causa da recessão económica em Moçambique.…
Guiné-Bissau: Presidente exonera Chefe de Estado-maior da armada e vice do Exército

Guiné-Bissau: Presidente exonera Chefe de Estado-maior da armada e vice do Exército

Segundo uma nota do Gabinete de Comunicação da Presidência da República, citando o Decreto Presidencial, “é o Contra Almirante, Carlos…
Timor-Leste: Elaboração do Plano de Urbanização de Díli aprovada

Timor-Leste: Elaboração do Plano de Urbanização de Díli aprovada

O Conselho de Ministros de Timor-Leste aprovou a elaboração do Plano de Urbanização de Díli. O objetivo é melhorar a…
Angola: Governo aprova mais de 15 mil milhões de kwanzas para Agricultura e Pescas

Angola: Governo aprova mais de 15 mil milhões de kwanzas para Agricultura e Pescas

O ministro da Agricultura e Pescas de Angola, António Francisco de Assis, informou que foram aprovados mais de 15 mil…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin