Angola: Deputados querem isenção para ex-combatentes

Os deputados defenderam nesta segunda-feira, 10 de fevereiro, a isenção do pagamento de taxas autárquicas aos antigos combatentes durante o debate, na especialidade, da Proposta de Lei que aprova o Regime das Taxas das Autarquias Locais. 

O diploma, de iniciativa legislativa do Executivo, foi apresentado no Parlamento pelo ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, e pela secretária de Estado das Finanças, Aia-Eza da Silva. No documento é proposto que fiquem isentos do pagamento de taxas autárquicas o Estado, as autarquias locais e demais entidades públicas e pessoas coletivas de utilidade pública. 

A secretária de Estado das Finanças afirmou que a autarquia terá de criar um regime próprio para que se conduza as atividades diárias. Sobre a proposta apresentada pelos deputados, esclareceu que é a autarquia que vai decidir em que medida os antigos combatentes pagam mais ou menos taxas. 

A responsável do Ministério das Finanças adiantou que as instituições de caridade e associações que, do ponto de vista da autarquia, trazem benefícios sociais, estão isentos de pagamentos de taxas das autarquias. 

Segundo o ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, as autarquias vão decidir a cobrança ou não de taxas em determinados casos específicos. “Quando a autarquia criar uma taxa, toma a decisão sobre quem está e quem não está isento de pagamentos”declarou. 

Para o deputado João Pinto, do MPLA, a isenção de todos os entes públicos pode prejudicar a solvência ou a arrecadação. “As empresas e institutos públicos podem levantar um problema de insolvência e pode perigar a arrecadação de receitas e o país ainda não tem a delimitação dos espaços”referiu, defendendo ainda a isenção de taxas para as famílias pobres. 

Por sua vez, o presidente da Comissão de Administração do Estado e Poder Local, Tomás da Silva, disse que, com a proposta de Lei sobre o Regime das Taxas Autárquicas, não se pretende criar qualquer tipo de taxa, mas sim definir o regime jurídico das taxas das autarquias. 

A proposta de Lei discutida na especialidade tem como objetivo introduzir um regime jurídico com vista à regulação das relações jurídico-tributárias geradoras da obrigação de pagamento de taxas às autarquias locais. Essas taxas autárquicas podem incidir igualmente sobre a realização de atividades dos particulares geradoras de impacto negativo, com destaque para o de carácter ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Cabo Verde interessado em consolidar desenvolvimento sustentável com Portugal

Cabo Verde interessado em consolidar desenvolvimento sustentável com Portugal

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, partilhou publicamente a vontade de consolidar o processo de desenvolvimento sustentável em Cabo…
Angola considera "excelentes" as relações com Portugal

Angola considera "excelentes" as relações com Portugal

O Ministério das Relações Exteriores de Angola afirma, através de uma nota de imprensa oficial, que as relações comerciais com…
Banco de Moçambique cancela registo de 15 operadores de microcrédito

Banco de Moçambique cancela registo de 15 operadores de microcrédito

O Banco de Moçambique decidiu cancelar o registo de 15 operadores de microcrédito. Estes passam a estar assim proibidos de…
Cabo Verde e Suíça decidem facilitar vistos de curta duração

Cabo Verde e Suíça decidem facilitar vistos de curta duração

Cabo Verde e Suíça acordaram que vão facilitar a emissão de vistos de curta duração, divulgou o Ministério dos Negócios…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin