Angola: Filha de primeiro PR do país concorre à liderança do MPLA

A filha do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, quer candidatar-se à liderança do MPLA no congresso ordinário agendado para dezembro. Segundo o porta-voz da Fundação Agostinho Neto, Artur Queiroz, o objetivo de Irene da Silva Neto é “acabar com as políticas divisionistas, que destruíram a unidade interna e nacional”

Artur Queiroz acrescentou que um grupo de “notáveis” do partido no poder decidiu convidar a médica Irene da Silva Neto para apresentar no referido congresso uma moção de estratégia e a sua candidatura à presidência. De acordo com o também jornalista, esta informação terá caído como uma bomba na direção do MPLA. 

Para a mesma fonte, o convite a Irene Neto deverá estar ligado ao facto de ser filha do primeiro chefe de Estado de Angola. “Ela é do MPLA desde pequenina e hoje é avó. Nasceu e cresceu nas nossas fileiras. Teve um gesto que mostra a sua fidelidade aos princípios e valores do movimento”, começou por explicar. 

“Quando concluiu a sua especialidade médica criou uma clínica. Quando a sua vida pessoal e profissional estabilizou, fez saber ao líder do MPLA, José Eduardo dos Santos, que estava disponível para desempenhar qualquer missão, no partido ou no Estado”, acrescentou. 

José Eduardo dos Santos incluiu Irene Neto na lista dos deputados do MPLA, lembrou Queiroz. Enquanto desempenhou a missão de deputada mostrou ser uma política exímia, tendo ido mais tarde para o Executivo, onde missões de que foi incumbida. Em 2017 deu lugar aos novos e deixou assim de pertencer às listas de deputados do MPLA. 

Agora, quem apoia a candidatura de Irene da Silva Neto considera-a a única pessoa que pode “acabar com as políticas divisionistas, que destruíram a unidade interna e nacional”. Em reação a estas demonstrações de confiança, a médica não fechou a porta aos seus apoiantes nem à apresentação de uma moção de estratégia, e fez o mesmo com a hipótese de vir a encabeçar uma lista para a liderança do MPLA. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin