Angola: FPU “não vai distinguir se os quadros forem do partido A ou do partido B”

Uma das caras da Frente Patriótica Unida (FPU) e líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior, prometeu que esta plataforma política “não vai distinguir se os quadros forem do partido A ou do partido B”.

“O país tem poucos quadros e por isso o futuro precisa de todos os quadros. A FPU não quer distinguir, não vai distinguir, se os quadros forem do partido A ou do partido B, ou se nunca tiveram partido. O nosso propósito é trabalhar com todos os quadros que queiram realizar Angola”, esclareceu.

Segundo o dirigente, a FPU está “mais forte e com maior amplitude consensual do que antes”. Recorde-se que a mesma foi relançada na semana passada pelos líderes da UNITA, Adalberto Costa Júnior, do PRA-JA Servir Angola, Abel Chivukuvuku, e do Bloco Democrático, Filomeno Vieira Lopes.

No seu discurso, Costa Júnior convocou, também em nome de Chivukuvuku e de Vieira Lopes, “todos os patriotas” para se unirem a “uma onda contagiante e visível em todo o território nacional”. Foi prometida “uma transição estável”, caso a FPU vença as eleições gerais de 2022.

Ao dirigir-se às forças de defesa e segurança do país, declarou que “O país precisa de todos vós”. “Vós sois defensores e servidores do Estado angolano e não funcionários de algum partido político. Um polícia defensor do Estado, das suas populações, respeitador da Constituição, não pode estar contra uma manifestação pacífica. Não dispara contra manifestantes que informaram da sua intenção. Vós sois também vítimas do Estado partidário”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin