Angola: Governo confirma declarações de JES sobre os cofres do Estado

O Governo angolano confirmou esta quinta-feira, 29 de novembro, que em setembro de 2017 tinha efetivamente 15 mil milhões de dólares em reservas internacionais líquidas (RIL) nos cofres do Estado, tal como afirmou recentemente o antigo Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos.

“Não deixei os cofres do Estado vazios”, garantiu em conferência de imprensa, onde disse que deixou mais de 15 mil milhões de dólares nas contas do Banco Nacional de Angola (BNA). Esta foi uma resposta em reação a afirmações feitas pelo atual Chefe de Estado, João Lourenço, que referiu numa entrevista que encontrou os cofres do Estado vazios quando tomou posse.

A confirmação do Governo sobre as declarações do antecessor de João Lourenço foi feita numa conferência de imprensa realizada em Luanda, onde não foi autorizada a entrada de órgãos de comunicação social estrangeiros e os órgãos privados não tiveram direito a fazer perguntas. O nome do antigo governante não foi pronunciado, tendo o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, feito apenas um balanço do Programa de Estabilização Macroeconómica (PEM), cujos dados confirmam o que foi dito por José Eduardo dos Santos.

“Tendo em conta que o consumo interno no país continua ainda muito dependente das importações, Angola registou, entre 2014 e 2017, défices sucessivos da conta corrente e da balança de pagamentos, com efeitos negativos nas RIL, que passaram de cerca de 27.200 milhões de dólares, em 2014, para cerca de 15.000 milhões de dólares em 2017. Quer dizer que, num período de três anos [governação de José Eduardo dos Santos], o país terá deixado de contar com cerca de 12.000 milhões de dólares nas RIL”, afirmou o ministro, de acordo com a transmissão da conferência de imprensa em direto, feita através dos órgãos de comunicação social angolanos.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…