Angola: João Lourenço nomeou governador investigado pela PGR

O Presidente angolano, João Lourenço, nomeou na terça-feira, 23 de novembro, José Martins para o cargo de governador da província do Cuando Cubango. Trata-se de um militante do MPLA que está a ser investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por alegada “falsa qualidade”

Antes desta nomeação, José Martins era administrador municipal da sua terra natal. Há poucos meses foi alvo de uma denúncia na PGR por figurar como “soldado fantasma” na folha de salário da direção dos antigos combatentes e veteranos de guerra na província do Cuando Cubango. 

Segundo o “Club-K”, há mais de dez anos que a direção dos antigos combatentes no Cuando Cubango deposita, todos os meses, um subsídio na conta de José Martins pela sua alegada qualidade de veterano de guerra. 

O cartão de antigo combatente número 135, emitido a favor do novo governador provincial, apresenta o visado como “deficiente de guerra”, nascido a 13 de dezembro de 1978 e que ingressou nas Forças Armadas Angolanas a 13 de fevereiro de 1993. Pelas contas, o documento alega que Martins tornou-se militar aos 14 anos de idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin