Angola: Líder da CASA-CE garante coesão interna

O líder da CASA-CE, Manuel Fernandes, voltou a assegurar que existe coesão interna na coligação, apesar das recentes “convulsões” que levaram à suspensão do partido Bloco Democrático. Recorde-se que essa formação política está focada em integrar a Frente Patriótica.

As afirmações foram feitas à imprensa nesta quarta-feira, 08 de setembro, após a chegada do dirigente a Malanje. Fernandes disse que a organização política está focada em aproximar-se da população para ouvir os problemas e fazer os possíveis para solucioná-los.

O objetivo, prosseguiu, é levar a cabo um programa nacional de mobilização que tem contribuído para o fortalecimento da CASA-CE, com foco nas eleições gerais. O sufrágio está marcado para 2022.

A agenda de trabalho de dois dias em Malanje inclui encontros com militantes da coligação e visitas a empreendimentos socioeconómicos, entre outras atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin