Angola: Militantes da FNLA apoiam presidente do partido

Os militantes da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) na província do Bengo manifestaram este sábado, 01 de dezembro, um apoio incondicional à liderança do presidente do partido, Lucas Ngonda, para que haja fortalecimento e coesão da formação partidária.

O secretário-geral da FNLA, Pedro Mukumbe, declarou à imprensa que o presidente tem um perfil capaz de liderar o destino do partido. “Os militantes da FNLA no país, e na província do Bengo, em particular, estão orgulhosos e depositam toda confiança ao irmão Lucas Ngonda, como presidente do partido, pela sua trajetória como militante do partido e a vasta experiência que reúne nos domínios socioeconómico, militar, político, governação e legislativo”, afirmou no final da inauguração da nova sede do comité provincial do Bengo, na localidade do Panguila, em Dande.

Para Mukumbe, Ngonda é uma figura proeminente do país que se encontra bem preparada para conduzir os destinos da nação e também fortalecer e regular a economia nacional, contando com a participação ativa de todos os angolanos. Os militantes da FNLA no Bengo demonstraram todo o seu apoio, através da intensificação do trabalho de mobilização no seio das populações, tendo em conta as autarquias em 2020 e as eleições gerais em 2022.

O secretário-geral apelou aos militantes para que se entreguem ao trabalho de mobilização, de forma a garantirem a coesão do partido para enfrentarem os próximos desafios, passando estes pela vitória nos sufrágios, além de ter defendido a implementação das autarquias de forma abrangente, em todos os municípios do país, uma vez que só assim será possível haver uma governação mais próxima do cidadão e capaz de resolver com maior facilidade os problemas existentes.

De acordo com o representante da FNLA, as eleições autárquicas poderão combater as assimetrias regionais, desenvolver as cidades, vilas e as aldeias, alavancar a economia nacional e ainda trazer mais transparência na gestão dos fundos públicos e melhor fiscalização das ações do Governo. “A província do Bengo é a mais próxima da capital do país [Luanda], mas apresenta os mais baixos níveis de desenvolvimento, assim como a cidade de Caxito, que está pouco mais de 50 quilómetros de Luanda, mas os sinais de pobreza nas populações são visíveis aos olhos de todos”, sublinhou.

Foi igualmente referido que o país vive uma nova fase e que os militantes da FNLA devem estar preparados para uma Angola melhor, onde todos os angolanos devem viver de igual para igual, com a divisão de riqueza para todos.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…