Angola: Ministro do Interior quer mais empenho da comunidade de inteligência no combate à corrupção

O ministro do Interior angolano exortou esta quinta-feira, 29 de novembro, no Huambo, a comunidade de inteligência a desempenhar um papel mais ativo no combate à corrupção, nepotismo e branqueamento de capitais. Ângelo Tavares mencionou o assunto durante o acto central dos 43 anos de existência dos Órgãos de Inteligência do Estado, onde esteve em representação do ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República.

Para o representante do Governo, é importante que a comunidade de inteligência trabalhe principalmente na identificação das pessoas envolvidas neste tipo de práticas, com o objetivo de conseguir impedir que comportamentos desta dimensão prejudiquem o património e as finanças públicas do Estado angolano.

Ângelo Tavares lembrou que o país viveu um longo período de guerra e que, nessa altura, o papel da comunidade de inteligência foi bastante crucial para a garantia da integridade territorial, identificação de possíveis ataques e desmantelamento de grupos que atentavam à segurança do Estado. Agora, em tempo de paz e de nova visão governativa, onde se realça o combate à corrupção, nepotismo e ao branqueamento de capitais, é novamente essencial o papel desta comunidade, que tem à disposição ferramentas de serviço, não apenas para o repatriamento de capitais, mas também para a identificação das pessoas envolvidas nas práticas destes crimes.

De acordo com o ministro do Interior, “este desiderato já foi mais complexo, mas hoje e com a cooperação existente com outras comunidades de inteligência existentes no mundo, é possível proceder-se de forma eficaz e célere a troca de informação que permite auxiliar as autoridades judiciárias no esclarecimento de factos que atentem contra à segurança económica, financeira, politica e, sem descurar, os crimes contra humanidade, terrorismo convencional e cibernético”.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…