Angola: MPLA acusado de financiar protesto contra a UNITA

A UNITA entregou ao Tribunal Constitucional de Angola a sua candidatura para as próximas eleições gerais nesta terça-feira, 21 de junho. No local encontravam-se alguns cidadãos que decidiram protestar contra a inclusão de Abel Chivukuvuku como candidato à Vice-Presidente da República. 

O “Angola 24 Horas” avançou que se tratava de um grupo contratado e financiado pelo general José Tavares, do MPLA. Os indivíduos estavam vestidos com camisolas da UNITA, principal partido da oposição no país e manifestaram em frente ao Palácio da Justiça. 

Foram usados cartazes com mensagens hostis, principalmente contra Chivukuvuku, antigo quadro da UNITA e ex-dirigente da coligação CASA-CE, representando atualmente o projeto político PRA-JA Servir Angola. O visado e outros fazem parte da lista de candidatos da UNITA através da chamada Frente Patriótica Unida, encabeçada por Adalberto Costa Júnior. 

Os manifestantes queixaram-se de veteranos militantes terem sido preteridos na lista de candidaturas às eleições gerais, acusando a direção da formação política de desrespeitar “o sacrifício dos heróis conhecidos e anónimos da causa da UNITA”

Em reação ao sucedido, o secretário-geral da UNITA, Álvaro Chipwamanga Daniel, minimizou o protesto. Num Estado democrático e de Direito, declarou, “é normal as pessoas se manifestarem, pois estão a exercer o seu direito de manifestação”

Segundo a mesma fonte, muitos desses cidadãos que se manifestaram em frente à sede do Tribunal Constitucional “nem sequer são militantes do partido”. E, mesmo que o fossem, “não representam a milésima parte” dos militantes da UNITA. 

Chipwamanga Daniel acrescentou que muitas das figuras históricas do partido, entre as quais Isaías Samakuva, Kamaluta Numa e Lukamba Gato, “cederam voluntariamente” os seus lugares para permitir a entrada no Parlamento de candidatos mais novos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Países europeus recorrem ao carvão como combustível

Países europeus recorrem ao carvão como combustível

Alguns países europeus estão a recorrer ao carvão para conseguirem produzir energia, de maneira a ficarem menos dependentes da Rússia.…
Afeganistão: Sismo causa 920 mortes e 610 feridos

Afeganistão: Sismo causa 920 mortes e 610 feridos

O Afeganistão sofreu um sismo de magnitude 6.1 na escala de Richter na madrugada desta quarta-feira, 22 de junho. Foram…
Revista de Imprensa Lusófona de 22 de junho de 2022

Revista de Imprensa Lusófona de 22 de junho de 2022

Na Guiné-Bissau a “ANG” noticia que o “FMI vai retomar programa financeiro com a Guiné-Bissau suspenso há quatro anos”. De…
Moçambique: Secretário do Estado quer maior vigilância nas fronteiras de Niassa

Moçambique: Secretário do Estado quer maior vigilância nas fronteiras de Niassa

O Secretário de Estado, na província de Niassa, Dinis Vilanculo, quer maior vigilância nas fronteiras daquela região de Moçambique, com…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin