Angola: MPLA aposta em mulheres de mérito para cargos de direção

O primeiro-secretário do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) no Moxico, Gonçalves Muandumba, reafirmou a aposta da formação política no poder na promoção de mulheres competentes e de reconhecido mérito aos cargos de direção. 

A declaração foi feita nesta quinta-feira, 21 de outubro, no Luena. Muandumba disse perante várias militantes da Organização da Mulher Angolana (OMA), ligada ao MPLA, que o partido continua comprometido com a valorização das mulheres. Neste âmbito, o objetivo é dar mais poderes e oportunidades ao sexo feminino, para que os desafios do futuro sejam cumpridos com competência e dignidade. 

Segundo Muandumba, a eleição ou nomeação de mulheres aos cargos de direção vai trazer outras exigências, mais responsabilidade e ainda a oportunidade de cimentar o empoderamento feminino. 

Paralelamente à promoção de mulheres com mérito, o político reiterou a aposta do MPLA na formação das mulheres, principalmente no empreendedorismo, para que haja uma diminuição do desemprego e seja combatido o analfabetismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin