Angola: MPLA defende que melhorar o país requer inclusão

O primeiro secretário do Comité Provincial do MPLA na Lunda Norte, Ernesto Muangala, defendeu que os desafios para melhorar Angola em todos os domínios devem ser inclusivos e participativos. Segundo o próprio, é necessária uma grande conjugação de esforços para alcançar o desenvolvimento socioeconómico do país. 

A observação foi feita durante a 5.ª sessão ordinária do partido no poder. Muangala disse também que, no atual contexto socioeconómico, Angola necessita ainda mais de todos os seus “filhos” para vencer os desafios que tem pela frente, principalmente no que diz respeito à diversificação da economia, prosseguiu. 

O político garantiu que, apesar da pandemia da Covid-19, o MPLA vai continuar a direcionar cada vez mais as suas ações junto da população, de maneira a promover o diálogo e a participação nos vários domínios da vida política, social e cultural, reforçando desta forma a democracia e a cultura de uma cidadania participativa. 

Quanto à JMPLA e à OMA, braço juvenil e feminino da formação política, disse que ambos devem continuar a assumir um maior protagonismo na sociedade e a desenvolver iniciativas que estimulem a participação dos jovens e das mulheres nos grandes desafios do país. 

O primeiro secretário pediu mais dinamismo nas tarefas partidárias para que o MPLA vença as próximas eleições, agendadas para 2022, “uma vez que são grandes os desafios que o partido vai enfrentar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin