Angola

Angola: MPLA e UNITA discutem intolerância política em Benguela

Assembleia Nacional de Angola
Assembleia Nacional de Angola

Militantes do MPLA e da UNITA voltaram a envolver-se num episódio de intolerância política na comuna da Capupa, em Benguela. Devido ao sucedido, os dois partidos trocaram acusações entre si. 

O MPLA, formação política no poder, responsabilizou o rival pela destruição de 12 casas. Já a UNITA, maior organização política na oposição em Angolaacusou o MPLA de ter usado alguns cidadãos para que os mesmos levassem a cabo ataques a militantes rivais. 

O incidente decorreu a 24 de março. Neste âmbito, membros de diversos segmentos sociais sugeriram que fosse então feito um trabalho sério de sensibilização para evitar novos confrontos. 

A versão da UNITA recai sobre o facto de o MPLA ter, alegadamente, mobilizado cerca de 50 homens, que terão roubado bens essenciais e queimado residências. A informação foi avançada por um quadro sénior do partido na CapupaJoão Tchiteculo. 

Por sua vez, o primeiro-secretário municipal do MPLA, Paulino Banja, confirmou a queima de residências, tanto de uma parte da UNITA como outra da formação política que representa. No entanto, realçou que os militantes da UNITA teriam agredido um militante do MPLA e roubado a motorizada do visado, o que levou à intervenção policial. 

Enquanto ambas as formações políticas se acusam mutuamente, as autoridades locais estão a realizar várias ações para a manutenção da ordem e estabilidade na localidade.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo