Angola: Oposição juvenil confiante na vitória nas eleições

Os líderes juvenis dos partidos na oposição em Angola com e sem assento no Parlamento acreditam que 2022 será o ano de vários desafios e de alternância política. Assim, os jovens da UNITA, da CASA-CE, da FNLA, do PRS e do APN consideram que o regime do MPLA irá cair nas eleições gerais, depois de 46 no poder.

Segundo o presidente da JURA, braço juvenil da UNITA, Agostinho Kamuango, 2021 foi passando em função das circunstâncias da pandemia da Covid-19. Já 2022 será um ano de vários desafios e, principalmente, altura para mobilizar um maior número de jovens rumo à alternância política liderada pela UNITA.

Em “2022 teremos de redobrar ações, sobretudo porque será um ano das eleições, e a juventude terá uma responsabilidade acrescida e a JURA vai duplicar ações neste ano e na mobilização do controle do voto, porque só desta forma podemos garantir alternância”, disse, citado pelo “Correio da Kianda”.

Também o Secretário Permanente Nacional da juventude do PRS, Gaspar dos Santos Fernandes, mencionou que o seu partido poderá vencer o sufrágio de 2022 e implementar pela primeira vez em Angola o sistema de governação federal.

Quanto ao líder da juventude da CASA-CE, Eduardo Garcia, referiu que 2021 foi um ano onde se registaram alguns avanços e recuos. À semelhança dos líderes da JURA e PRS, considera que em 2022 a organização política da qual faz parte irá vencer as eleições.

Já o Secretário Nacional da juventude da FNLA, Kiaku Daniel Kiala, salientou que 2022 será um ano de desafios. No entanto, garantiu que o seu partido não fará figurino nas próximas eleições, devendo disputar em pé de igualdade com as restantes formações políticas.

Por fim, o líder juvenil do APN, partido sem representação no Parlamento e que deverá participar no sufrágio deste ano, observou que o ano que terminou foi de muitos desafios por causa da situação sanitária mundial. Para Pedro Vita, o MPLA provou que é um partido incapaz de resolver os problemas do povo e que 2022 será o fim do regime que considera ditatorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin