Angola: Pai de manifestante morto critica atitude de João Lourenço

O pai do jovem que terá sido, alegadamente, morto pela polícia na manifestação de 11 de novembro, ocorrida em Luanda, capital de Angola, criticou as instituições que deviam garantir a justiça. Isto porque considera as mesmas coniventes em tentar esconder as verdadeiras causas deste incidente. 

Segundo a polícia, a morte de Inocêncio Alberto de Matos ter-se-á devido ao facto de o visado ter caído na altura em que fugia da polícia. 

O pai do malogrado estudante, Alfredo Miguel Matos, veio então pedir ao Presidente da República de Angola, João Lourenço, para que se pronuncie sobre o sucedido. A família continua a rejeitar o resultado da autópsia efetuada pelas autoridades, algo a que ninguém da família pode assistir. 

“Honestamente falando, é um assunto de contorno extremamente complicado para nós. A situação é extremamente dolorosa, há conivência de quase todas as pessoas que deviam ser guardiãs da justiça e da paz e do bem-estar das pessoas”, expôs. 

“Portanto, digo que sua excelência senhor Presidente da República devia ganhar a coragem e pronunciar-se em torno deste tão grave assassinato”, concluiu.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: Dirigentes públicos sofrem diminuição de salário

Moçambique: Dirigentes públicos sofrem diminuição de salário

Os suplementos dos salários dos dirigentes públicos vão ser reduzidos, no quadro da Tabela Salarial Única (TSU). O objetivo consiste…
Cabo Verde: PAICV diz que povo é condicionado pela criminalidade na Praia

Cabo Verde: PAICV diz que povo é condicionado pela criminalidade na Praia

A deputada Adélcia Almeida, do PAICV, partilhou nesta terça-feira, 10 de janeiro, que o partido verificou no terreno que a população…
Angola: UNITA pede autárquicas e MPLA pede-lhe colaboração

Angola: UNITA pede autárquicas e MPLA pede-lhe colaboração

O secretário provincial da UNITA em Luanda, Nelito Ekuikui, desafiou o Presidente da República de Angola, João Lourenço, a cumprir…
Cabo Verde: UCID teme manifestações internacionais

Cabo Verde: UCID teme manifestações internacionais

O líder da UCID, João Santos Luís, considera importante o “país proteger as instituições democráticas, para se livrar das manifestações…