Angola: Presidente da FNLA reúne-se com ex-concorrentes

O novo líder da FNLA, Nimi a Simbi, vai promover encontros com os candidatos derrotados no último congresso do partido, realizado em Luanda de 16 a 19 de setembro. Recorde-se que foi nesse evento que o dirigente alcançou a vitória, através de 297 votos. 

O objetivo de Simbi é abordar o futuro da FNLA e a composição do novo Comité Central. Este tem ainda vagas por preencher. 

Os candidatos que concorreram contra Nimi a Simbi foram o ex-presidente da formação política, Lucas Ngonda, Fernando Pedro Gomes, Carlitos Roberto e Tristão Ernesto. 

O novo presidente prometeu uma organização política mais dinâmico, congregadora, organizada e com postura. Simbi disse ao “Jornal de Angola”, depois de ter sido confirmada a sua eleição, que havia a possibilidade de convidar para a direção os candidatos derrotados, “para juntos trabalharem na reunificação da FNLA, visando os desafios futuros”

Numa primeira fase a meta será reunificar todos os militantes e reorganizar o partido para a recuperação do espaço político perdido. Desta forma espera-se melhorar os resultados nas próximas eleições, marcadas para 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin