Angola: Projeto político NJANGO espera ser legalizado em 2022

O dirigente da comissão instaladora do projeto político Nacionalista para a Justiça em Angola (NJANGO), Eduardo Chingunji, partilhou a sua convicção de que este partido pode ser legalizado pelo Tribunal Constitucional de Angola até à segunda quinzena de janeiro de 2022. 

A informação foi avançada pelo “Jornal de Angola”. O ex-ministro da Hotelaria e Turismo no Governo de Unidade e Reconciliação Nacional fez as declarações em Luanda, depois de ter entregue nesta semana ao Tribunal Constitucional cerca de dez mil assinatura para a legalização do seu projeto político. 

“Nós temos cerca de dez mil assinaturas já entregues ao Tribunal, que foram conseguidas depois de uma triagem séria na nossa sede”, afirmou. 

Segundo a mesma fonte, a resposta do órgão de justiça mencionado deverá ser dada dentro de 60 dias, de acordo com a lei. 

“O que nós queremos apresentar aqui é uma força moderna, onde a única coisa que conduz o motor do partido é a sua ideologia e os recursos humanos que temos”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin