Angola: Sábado foi dia de nova manifestação, mas sem repressão

Mais de 200 pessoas participaram numa manifestação no sábado, 21 de novembro, no Largo 1º de Maio, em Luanda. Esta foi a maneira encontrada para exigirem mais transparência e rigor no combate à corrupção. 

Os manifestantes exigiram principalmente do Governo angolano uma maior responsabilização dos gestores que enriquecem ilicitamente. 

Segundo a co-organizadora da manifestação, Laura Macedo, o protesto foi contra a maneira como está a ser conduzido o processo de repatriamento de capitais no país. A ativista considera que o Estado “apenas está a recuperar o passivo das empresas arrestadas”o “deve merecer outras abordagens”. 

Durante o protesto os participantes leram um manifesto, através do qual encorajaram o Executivo a criar as condições materiais para que os Tribunais de Relação começassem, de facto, a funcionar, sendo importante o reforço e a transparência no combate à corrupção. 

Foi igualmente feito um apelo aos tribunais para a necessidade de cumprirem os prazos processuais legalmente estabelecidos e fazerem justiça em tempo útil. 

Os manifestantes exigiram ainda a rápida institucionalização das autarquias em Angola, cujo pacote legislativo está a ser concluído pela Assembleia Nacional. Isto porque veem as autarquias como um passo importante para o desenvolvimento do país. 

Tratou-se assim do segundo protesto organizado pela sociedade civil no mês de novembro, após a marcha do dia 11. Desta vez não houve repressão policial, tendo as autoridades preferido reunir-se com os organizadores da manifestação e apelado à passividade, obediência e ao cumprimento das normas constantes do Decreto Presidencial sobre a Situação de Calamidade Pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Igor Mazepa Baran tem 57 anos de idade e vive na cidade de Curitiba, no Brasil. É brasileiro com descendência…
Representação Central Ucraniano-Brasileira critica neutralidade do governo do Brasil diante da invasão russa

Representação Central Ucraniano-Brasileira critica neutralidade do governo do Brasil diante da invasão russa

Em declarações à nossa reportagem, Vitorio Sorotiuk, presidente da Representação Central Ucraniano-Brasileira (RCUB), disse ter apelado “oficialmente ao presidente do…
Brasil: Turismo cresceu 12% em relação a 2020 no país

Brasil: Turismo cresceu 12% em relação a 2020 no país

O turismo nacional brasileiro faturou R$ 152,4 mil milhões em 2021, de acordo com levantamento do Conselho de Turismo (CT)…
Revista de Imprensa Lusófona de 02 de março de 2022

Revista de Imprensa Lusófona de 02 de março de 2022

“Sissoco manifesta interesse da Guiné-Bissau para mediar conflito entre a Rússia e Ucrânia” e “Juventude de partidos políticos conjuga sinergias…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin