Angola: TC terá de resolver caso de dois presidentes na FNLA

O Tribunal Constitucional (TC) de Angola vai ter de resolver o problema de o partido Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) ter, atualmente, dois presidentes. São eles Pedro Dala e Nimi Simbi. 

O ex-líder da formação política, Lucas Ngonda, perdeu a eleição no V congresso, onde foi eleito Nimi a Simbi. No entanto, Pedro Dala tinha sido nomeado no final do passado mês de agosto e rejeita assim a nomeação de Simbi, considerando inválido o congresso ocorrido no domingo, 19 de setembro. 

Dala defende que a nova eleição é ilegal e que, no seu caso, foi nomeado no congresso realizado entre 16 e 18 de agosto, tendo esse evento cumprido “com os trâmites legais”

Tratou-se de um conclave convocado pelo comité central do ano de 2019, sobre o qual o Tribunal Constitucional chegou a confirmar que se tratava de um comité central aceite e que as decisões do mesmo, bem como as recomendações, eram consideradas válidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin