Angola: TC terá de resolver caso de dois presidentes na FNLA

O Tribunal Constitucional (TC) de Angola vai ter de resolver o problema de o partido Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) ter, atualmente, dois presidentes. São eles Pedro Dala e Nimi Simbi. 

O ex-líder da formação política, Lucas Ngonda, perdeu a eleição no V congresso, onde foi eleito Nimi a Simbi. No entanto, Pedro Dala tinha sido nomeado no final do passado mês de agosto e rejeita assim a nomeação de Simbi, considerando inválido o congresso ocorrido no domingo, 19 de setembro. 

Dala defende que a nova eleição é ilegal e que, no seu caso, foi nomeado no congresso realizado entre 16 e 18 de agosto, tendo esse evento cumprido “com os trâmites legais”

Tratou-se de um conclave convocado pelo comité central do ano de 2019, sobre o qual o Tribunal Constitucional chegou a confirmar que se tratava de um comité central aceite e que as decisões do mesmo, bem como as recomendações, eram consideradas válidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

O Governo japonês disponibilizou cerca de 170 mil dólares a Moçambique para a aquisição de cinco viaturas destinadas ao Serviço…
Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

A vice-governadora provincial para o setor Político, Social e Económico de Benguela, Lídia Amaro, afirmou que 593 ex-militares foram reintegrados…
Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

O Banco Mundial prevê que Timor-Leste registe um crescimento económico de 4,1% em 2024 e 2025, através do alívio das…
UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

A União Europeia (UE) anunciou o envio da próxima parcela de 50 milhões de euros para a Agência das Nações…