Angola

Angola: UNITA acusada pelo MPLA de fazer falsas promessas a antigos militares

O segundo-secretário do Comité Provincial do MPLA no Cuando Cubango, José Martins, denunciou que há elementos da UNITA a cobrar três mil kwanzas (cerca de 5 euros) a ex-militares com a promessa de que estes vão ser inseridos na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas (FAA). 

A mesma fonte referiu que as pessoas enganadas estão a ser alistadas como militantes do maior partido da oposição em Angola sem o seu consentimento, sendo este acto um aproveitamento da sua situação de vulnerabilidade vivida pelos antigos militares. 

Segundo José Martins, alguns ativistas da UNITA, juntamente com pensionistas das ex-FALA (antigo braço armado dessa formação política), têm desencadeado ações de propaganda, alegando que a Caixa de Segurança Social das FAA pertence a essa organização política. 

O político afirmou que se deslocou até ao Cuito Cuanavale para esclarecer a população sobre o assunto, principalmente os ex-pensionistas combatentes que foram retirados do sistema de pagamentos por falta de alguns documentos que comprovam a idoneidade dos mesmos, e partilhou que ao chegar ao local deparou-se com essa propaganda. 

O membro do partido no poder alertou a população de que a Caixa de Segurança Social das FAA é um órgão do Ministério da Defesa Nacional que está habilitado a atender exclusivamente os ex-militares graduados à categoria de oficiais. 

“O licenciamento dos efetivos para a Caixa de Segurança Social das FAA é da inteira responsabilidade do Ministério da Defesa Nacional, em coordenação com o Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria. Nenhum partido político, incluindo o MPLA, que governa atualmente Angola, tem poderes para o efeito”, explicou. 

Entretanto, a UNITA veio negar as acusações de que foi alvo, através do secretário provincial adjunto no Cuando Cubango, Joaquim Exinha, que mencionou que a organização política está a efetuar, em oito dos nove municípios da província (exceto o Cuito Cuanavale), o registo dos reformados, viúvas, ascendentes e órfãos dos ex-militares das FALA com base na circular nº 2.789, do diretor-geral da Caixa de Segurança Social das FAA.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo