Angola

Angola: UNITA alerta para desvio de verbas nas obras do PIIM

A UNITA em Benguela enalteceu a coragem do vice-governador local. Leopoldo Muhongo denunciou a fiscalização de obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) feita por um enfermeiro.

Para o maior partido da oposição em Angola, tal representa uma atitude vergonhosa. Desse modo, considera que a situação pode significar um desvio das verbas atribuídas para a execução dos programas locais no Cubal.

As declarações foram feitas pelo secretário provincial da UNITA em Benguela, Abílio Kaund. O político referiu assim que este caso revela a falta de seriedade do programa público de iniciativa do Presidente da República, João Lourenço.

“Estamos todos chocados com essa atitude dos responsáveis do PIIM no Cubal. Com esta ação passa-se, de facto, a ideia da roubalheira”, disse.

Kaund lembrou que Benguela tem quadros competentes e formados que poderiam ser chamados a fiscalizar as obras do PIIM. Já o enfermeiro, ajuntou, poderia ser usado para contribuir com o seu saber para assistir as populações locais.

MPLA reage à acusação de desvio

Por sua vez, o MPLA, formação política no poder, afirmou que a denúncia do desvio de verbas nas obras do PIIM surge na sequência das mudanças em curso no país. Segundo a mesma fonte, o motivo deve-se então ao programa que a organização política tem para corrigir o que está mal e melhorar o que está bem.

“Está feita a denúncia. Agora é preciso deixar a justiça trabalhar e responsabilizar os envolvidos, caso haja, de facto, indícios de desvios”, concluiu assim o secretário para a Informação do MPLA, Albino Carlos.

O município do Cubal tem um orçamento de 1.153.831.495 kwanzas (1.765.360 euros), no âmbito do PIIM. O objetivo é aplicar o dinheiro na construção de três escolas, um centro sanitário, um posto policial e trabalhos de terraplanagem.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo