Angola: UNITA alerta para problemas no Cuanza-Sul

O secretário provincial da UNITA no Cuanza-Sul, Armando Kaquepa, apelou ao Governo angolano para que trabalhasse mais na busca de soluções para os problemas sociais e económicos que estão a afetar as populações dos 12 municípios. 

O apelo foi feito durante uma conferência de imprensa, realizada na cidade do Sumbe, onde Kaquepa fez o balanço de 2021 e apresentou os desafios previstos para 2022. 

Para o representante do maior partido da oposição no país, o setor da Saúde é aquele que mais problemas regista, principalmente no que diz respeito à falta de novas infraestruturas, aos recursos humanos, à fraca assistência médica e medicamentosa, e também à insuficiência de meios de transporte para as unidades sanitárias. 

Foi igualmente mencionado o problema da falta de mais salas de aulas, de professores e ainda as obras de duas escolas que ficaram por concluir no município do Sumbe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin