Angola: UNITA considera “desastroso e vergonhoso” discurso do PR

A UNITA afirmou que foi “desastroso e vergonhoso” o discurso sobre o estado da nação do Presidente da República de Angola, João Lourenço. O governante fez um balanço da situação do país na passada sexta-feira, 15 de outubro. 

As críticas do maior partido da oposição foram feitas pela secretária provincial no Huambo, Albertina Navemba Ngolo, que representou assim o atual líder da UNITA, Isaías Samakuva, estando este último ausente do país. 

Para Ngolo, o chefe de Estado omitiu vários pontos. “Percebe-se que o partido-Estado não tem interesse em discutir o desenvolvimento do país, só que não se pode admitir que tenha chegado ao ponto de subverter, sem pejo algum, o papel das instituições, num contexto de um Estado democrático e de Direito, como diz a Constituição”, declarou. 

“O Presidente da República recuou para zero no combate à corrupção porque ele mesmo, para além de ser um produto político da corrupção eleitoral, formou-se numa governação patrimonial, já que a corrupção é o método que o MPLA, para se manter no poder, usa, corrompendo militantes opositores e cidadãos que pensam diferente, distribuindo oportunidades económicas por meio da corrupção, por isso combater a corrupção significa combater-se a si mesmo”, prosseguiu. 

A parlamentar mencionou que no discurso esteve ausente a apresentação de números reais dos valores recuperados e o que se fez deles, tal como o impacto do combate contra a corrupção na vida das pessoas. 

“João Lourenço confiscou a TV Zimbo, o jornal O País, a Rádio Mais, a TV Palanca, encerrou a TV Record em Angola, a SIC notícias e alguns canais da Zap. João Lourenço orientou a TPA a bloquear o adversário político, Adalberto Costa Júnior, e o cortejo de ódio e ostracismo culminou com o famoso acórdão do TC”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin