Angola: UNITA demarca-se de violência contra Presidente do CNJ

A UNITA afirmou que ficou preocupada com aquilo que soube através dos órgãos de comunicação social, referindo-se assim à agressão física de que foi alvo o presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), Isaías Kalunga. 

O incidente ocorreu no passado sábado, 17 de abril, durante a manifestação promovida pelo Movimento de Estudantes Angolanos (MEA), em Luanda. 

O secretariado da comunicação e marketing da UNITA declarou, através de um comunicado, que “condena energicamente a utilização da força e da violência por quem quer que seja e demarca-se dos acontecimentos ocorridos em Luanda no passado sábado, que culminaram na agressão ao líder do CNJ”. 

“A UNITA reafirma a vocação do partido ao diálogo, como meio privilegiado para a resolução de qualquer diferendo e considera que as acusações feitas contra a UNITA e a sua Direção inserem-se na estratégia do regime no poder, visando denegrir a sua imagem e o seu bom nome”pode ler-se ainda. 

A maior formação política na oposição em Angola apelou e encorajou, através do documento, as autoridades competentes “a tomarem medidas pertinentes de responsabilização civil e criminal dos autores de actos violentos contra o presidente do Conselho Nacional da Juventude”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin