Angola

Angola: UNITA financiada para desestabilizar João Lourenço

Líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior
Adalberto Costa Júnior

A UNITA, maior partido da oposição em Angola, está a ser, alegadamente, financiada para desestabilizar a governação de João Lourenço. Esta informação foi avançada por uma fonte, em exclusivo, ao “Correio da Kianda”. 

A revelação foi feita nesta quinta-feira, 22 de outubro, tendo sido fornecidas provas documentais que poderão ser brevemente publicadas. Os alegados financiadores da organização política liderada por Adalberto Costa Júnior integram um grupo de políticos com inclinações à governação do ex-Presidente da República José Eduardo dos Santos, antecessor de João Lourenço. 

Esses membros do MPLA, formação política no poder, estarão então insatisfeitos com a bandeira de combate à corrupção do atual chefe de Estado. Os mesmos encontrar-se-ão por detrás das manifestações que a UNITA pretende levar cabo daqui para a frente, com início neste sábado, dia 24. 

mesma fonte disse ainda queentre os destaques das personalidades políticas por detrás dos supostos financiamentos, encontra-se o nome da empresária Isabel dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos. Do grupo farão igualmente parte figuras do atual governo, que integram ainda o gabinete do presidente João Lourenço. 

Segundo a fonte, essa estratégia baseia-se na ideia de “contrapor as energias e forças do presidente João Lourenço, que, de forma incansável, tem se esforçado para recuperar o que foi constituído com dinheiro público”. 

“Os marimbondos tudo têm feito para tentar contrapor a luta do presidente João Lourenço, mas, graças á firmeza do Presidente da República, até ao momento os marimbondos continuam sem chance de manobras para atrapalhar a firmeza do Chefe de Estado, que é a recuperação de tudo quanto foi construído com dinheiro público”concluiu. 

Uma fonte do gabinete de Costa Júnior declarou que a pressão feita pelos chamados “marimbondos”, em virtude do suposto compromisso financeiro que o presidente da UNITA te estado a receber, tem obrigado o dirigente da UNITA a enveredar em promessas enganosas, nos denominados “movimentos revolucionários” que têm sido incentivados pelo partidocomo sair à rua para protestar contra a governação de João Lourenço.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo