Angola: UNITA nomeia secretários em Chitembo, Cuito e Cunhinga

Militantes da UNITA

Os municípios do Chitembo, Cuito e Cunhinga, situados na província angolana do Bié, têm novos secretários da UNITA desde sábado, 29 de janeiro. São Bartolomeu Lizima, Augusto Pakissi Kaliata e Júnior Chicala Sapala, respetivamente. 

Os três foram nomeados no quadro da reestruturação do maior partido da oposição no país, tendo substituído assim António Chipopa (Chitembo), José Domingos Liberdade (Cuito) e Evaristo Severino Katito (Cunhinga). 

No acto de apresentação dos recém-nomeados, o secretário provincial da formação política no Bié, Jeremias Kaunda Abílio, declarou que a movimentação de quadros enquadra-se na reestruturação e ajustamento da UNITA, resultante do VIII Congresso do partido, realizado em dezembro do ano passado. 

Kaunda Abílio pediu aos nomeados que fossem mais criativos perante os novos desafios, principalmente o das eleições gerais, previstas para agosto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

O Governo japonês disponibilizou cerca de 170 mil dólares a Moçambique para a aquisição de cinco viaturas destinadas ao Serviço…
Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

A vice-governadora provincial para o setor Político, Social e Económico de Benguela, Lídia Amaro, afirmou que 593 ex-militares foram reintegrados…
Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

O Banco Mundial prevê que Timor-Leste registe um crescimento económico de 4,1% em 2024 e 2025, através do alívio das…
UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

A União Europeia (UE) anunciou o envio da próxima parcela de 50 milhões de euros para a Agência das Nações…