Angola

Angola: UNITA preocupada com seca no país

A deputada da UNITA Navita Ngolo, que esteve no Cunene para preparar as VIII jornadas parlamentares, marcadas de 09 a 14 de setembro, partilhou com os jornalistas que das 35 mil toneladas de produtos diversos que a província precisa mensalmente, apenas recebe mil.

Uma delegação liderada por um deputado do mesmo partido, Paulo Lukamba Gato, esteve igualmente no mesmo local para preparar as referidas jornadas, altura em que alertou o Governo angolano para a urgência de tomar medidas para socorrer as populações da província, sendo estas vítimas da fome e da seca.

Para Lukamba Gato a situação exige medidas “urgentes”, considerando necessário que o esforço empreendido pelo Governo para auxiliar as vítimas do ciclone Idai, em Moçambique, deve ser feito agora no Cunene, de forma a colmatar a falta do básico para a sobrevivência.

“Nós efetuámos uma visita, em profundidade, e constatámos que a situação é extremamente grave, dramática. São precisas medidas de emergência já”, declarou.

Segundo o político, são necessárias medidas estruturantes e permanentes, que passam por um investimento sério na construção das represas na região para a retenção das águas quando chove. “É preciso que o Cunene deixe de estar entregue às arbitrariedades do clima, chuva ou seca. É preciso que o Governo assuma a sua responsabilidade, encontre formas de fazer face à situação caso haja chuva e caso haja seca, como agora”, defendeu.

O presidente do Grupo Parlamentar da UNITA, Adalberto Costa Júnior, manifestou também preocupação sobre a tragédia que assola o Sul do País, tendo afirmado durante uma conferência de imprensa que “o Presidente da República deve declarar estado de emergência na região, onde milhares de pessoas enfrentam uma crise alimentar sem precedentes”.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo