Angola: UNITA reitera legalidade da eleição de Costa Júnior

A UNITA reafirmou que a eleição de Adalberto Costa Júnior para presidente do partido obedeceu à Constituição e à Lei dos Partidos Políticos e também aos estatutos e regulamentos do VIII Congresso ordinário.

No comunicado divulgado pelo Secretariado Executivo do Comité Permanente da Comissão Política lê-se que a “insistente e vil campanha” de combate à figura do líder, eleito democraticamente pelos delegados ao XIII congresso ordinário, “não tem a mínima sustentação jurídica”.

“Como precursora da democracia no país, a UNITA tem pautado pela legalidade nos seus actos, tendo sido o primeiro partido, em Angola, a instituir nos seus congressos, o sistema de candidaturas múltiplas para a eleição do presidente, enquanto o MPLA, contra a própria corrente da História, insiste na cultura da indicação do líder”, pode ainda ler-se.

Segundo a principal formação política na oposição em Angola, a renúncia da nacionalidade adquirida de Costa Júnior data de 11 de outubro de 2019. Já o apuramento de candidaturas ocorreu dez dias depois.

“Aquando do apuramento das candidaturas, Adalberto Costa Júnior era detentor de uma só nacionalidade, a nacionalidade angolana originária e aquando da eleição e da tomada de posse, a 15 de Novembro de 2019, Adalberto Costa Júnior era detentor de uma só nacionalidade, a angolana originária”, indica o comunicado.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

O diário de Anne Frank regressa em 2023

O diário de Anne Frank regressa em 2023

Depois de uma temporada de 4 meses no Teatro da Trindade INATEL e com mais de 30 mil espectadores, o…
Angola: Consulado de Portugal abre agendamento para pedido de vistos

Angola: Consulado de Portugal abre agendamento para pedido de vistos

Consulado Geral de Portugal em Luanda anunciou a abertura, no próximo mês de fevereiro, de agendamento para pedido de vistos.…
Timor-Leste: Menos de metade dos beneficiários receberam cesta básica

Timor-Leste: Menos de metade dos beneficiários receberam cesta básica

As autoridades timorenses distribuíram cestas básicas a menos de metade dos beneficiários previstos durante os primeiros seis meses de implementação…
Cabo Verde: Governo fortalece cerco à criminalidade

Cabo Verde: Governo fortalece cerco à criminalidade

A Assembleia Nacional de Cabo Verde aprovou na especialidade, por proposta do Governo, as novas alterações ao diploma que aperta…