CEDEAO

CEDEAO permite maior exportação de produtos “made in Angola”

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) é vista por Angola como uma grande oportunidade para a expansão das exportações dos produtos “made in Angola”. Tal verifica-se através da dimensão territorial da organização africana e a proximidade entre os países. 

As declarações foram feitas pelo secretário de Estado para a Indústria, Ivan do Prado, nesta quarta-feira, 13 de outubro, em Luanda. O político participou no acto de abertura do webinar sobre “a internacionalização das empresas angolanas na CEDEAO”, que serviu de antecâmara de lançamento da primeira edição da Feira Internacional de Negócios Angola-CEDEAO (FINAC), que irá decorrer em Luanda no primeiro trimestre de 2022. 

Segundo Prado, é essencial que se criem contextos unificadores para abrir caminho para a efetiva internacionalização das empresas africanas. O secretário de Estado enalteceu os esforços políticos para a implementação e operacionalização de um mercado comum africano, como é o caso da Zona de Comércio Livre Continental Africana. 

Ivan do Prado espera que a FINAC seja um espaço para a criação de visões comuns que possibilitem o alavancar das trocas comerciais para o fortalecimento das economias dos países e consequente melhoria da qualidade de vida dos seus cidadãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin