Angola | Brasil

Consulado da Angola no Rio de Janeiro apresenta projeto “Um grito de alerta” com foco no combate à violência contra a mulher

A responsável pela área de relações públicas do Consulado-Geral de Angola no Rio de Janeiro, Sabrina Ferreira Oliveira, ministrou uma palestra sobre o atendimento à mulher vítima de violência. O encontro aconteceu no dia 27 de junho no auditório da sede da Guarda Municipal da cidade maravilhosa (GM-Rio), em São Cristóvão, Zona Norte carioca. Cerca de 100 funcionários, entre guardas municipais, comandantes de unidades, coordenadores e diretores de diferentes setores participaram no encontro, que contou ainda com a presença do vice-cônsul da Angola, Domingos Camilo Buanga, do secretário de Ordem Pública do Rio, Paulo Amendola, e da comandante da GM-Rio, inspetora geral Tatiana Mendes.

Durante a palestra, Sabrina Oliveira falou sobre o projeto desenvolvido pelo consulado angolano chamado “Um grito de alerta”, que trabalha a questão do feminicídio, da violência doméstica e do assédio sofrido pelas mulheres principalmente em transporte público. Oliveira destacou que a Guarda Municipal pode ajudar não só as cidadãs angolanas, mas todas as mulheres que sofrem violência e que precisam de ajuda.

“As mulheres vítimas de violência precisam encontrar em vocês um amigo em quem possam confiar. Elas não podem ter medo de pedir ajuda e vocês são preparados para isso, para estar no lugar certo e dar este primeiro atendimento. A gentileza com o cidadão faz toda diferença nesta hora”, defendeu Sabrina Oliveira.

Para a Guarda Municipal do Rio, é importante entender as questões que preocupam os cidadãos estrangeiros no Brasil.

“Este encontro é um marco para toda a Guarda Municipal, pois temos a oportunidade de aprender sobre a questão da violência contra a mulher e também sobre as necessidades e o sofrimento que elas passam. O que aprendemos aqui hoje vai ser multiplicado para todo o efetivo de forma que possamos dar o melhor atendimento para as vítimas em nosso serviço na rua”, afirmou a comandante da GM-Rio, Tatiana Mendes.

 

Parceria e proteção

A parceria entre a GM-Rio e o consulado Angolano foi definida em reunião realizada no dia 18 de junho, na sede da instituição, em São Cristóvão. O encontro aconteceu para aproximar as relações institucionais e fomentar ações com foco na proteção das mulheres e “a questão da violência é um dos principais motivos de preocupação do consulado”.

Segundo os diplomatas africanos, “a violência doméstica é um grave problema que afeta milhares de mulheres de todas as idades em Angola e uma das dificuldades de combate e erradicação reside também na cultura. Muitas angolanas vieram para o Brasil fugindo de situações desse tipo”.

Dados desse consulado dão conta de que cerca de sete mil angolanos residem na cidade do Rio de Janeiro, com concentração na comunidade do Complexo da Maré, na Zona Norte da cidade. Há também grande quantidade de angolanos residindo em bairros da Zona Oeste do Rio, como Santa Cruz, Campo Grande, Sepetiba, Guaratiba e Realengo.

 

Novos projetos

Após o encontro no Rio, o consulado angolano prontificou-se a realizar palestras para os gestores de unidades operacionais, diretores e demais lideranças da GM-Rio para alinhar os detalhes da política de proteção, segurança e garantias de direitos das mulheres e dos cidadãos angolanos que residem no Rio.

 

Promoção do país

Durante a palestra, foi exibido um vídeo sobre a Angola, país localizado na costa ocidental da África, e que tem uma população de 29 milhões de habitantes, caracterizando-se por ser uma das maiores economias do continente.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo