Angola | São Tomé e Príncipe

Livre circulação de pessoas entre Angola e São Tomé e Príncipe.

Os governos de Angola e de São Tomé e Príncipe assinaram o Acordo sobre Isenção Recíproca de Vistos em Passaportes Diplomáticos, de Serviço e Ordinários.

 

O documento foi rubricado pela chefe da diplomacia santomense, Edite Ten Jua, e o seu homólogo angolano o embaixador Téte António, no edifício sede do MIREX, após um encontro de trabalho entre as delegações de alto nível dos dois países.

 

A ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades iniciou domingo a visita a Angola, que terminará esta quarta-feira. Durante a sua estadia ela terá encontros de trabalho e de cortesia com distintas entidades dos setores político, económico e social do Estado angolano e do seu país.

 

Edite Ten Jua também foi portadora de uma mensagem do presidente da República santomense, Evaristo Carvalho, para o estadista angolano, João Lourenço.

 

Angola e São Tomé e Príncipe mantêm relações fraternas, de amizade e cooperação político e diplomática há mais de 40 anos e esse acordo de isenção recíproca de vistos em três categorias de passaportes vem fortalecer ainda mais os laços entre os dois países.

 

São Tomé e Príncipe já tinha dado o primeiro passo em 2013, ao decidir pela isenção de vistos aos cidadãos angolanos que visitassem o país, por um período de 15 dias.

 

Em maio do ano 2019, a então ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades, Elsa Pinto, reuniu-se em São Tomé, com uma delegação do governo angolano, chefiada por Domingos Vieira Lopes, Secretário de Estado para Cooperação Internacional e Comunidades de Angola.

 

A reciprocidade neste domínio foi um dos assuntos analisados na reunião técnica. Na ocasião, o secretário de Estado para a Cooperação Internacional e Comunidades de Angola declarou que “tomamos boa nota da preocupação de São Tomé em relação aos vistos. Conversamos sobre aquilo que pode vir a acontecer de forma positiva e achamos que este assunto será rapidamente ultrapassado. É desejo dos dois países que a circulação que já é boa, possa ser ainda mais fluida”, assegurou Domingos Vieira Lopes.

 

O acordo foi assinado esta segunda-feira, dia 21 de dezembro, data com triplo significado para o arquipélago. Assinala-se a descoberta da ilha de São Tomé por João de Santarém e Pero Escobar, o dia do Santo Tomé, padroeiro da ilha maior e marca também o aniversário da tomada de posse do governo de transição em 1974, chefiado por Leonel d’Alva, que preparou a independência do país em 12 de julho de 1975.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo