Angola: Ministra das Finanças diz que aumento salarial vai devolver poder de compra

A ministra das Finanças de Angola, Vera Daves, considera que o aumento salarial previsto para a função pública em 2022 vai devolver o poder de compra das famílias angolanas. 

“A preocupação do aumento salarial não é somente com os funcionários públicos, mas com todos os angolanos que precisam recuperar o poder de compra para o bem-estar das famílias”, afirmou, citada pela “Angop”. 

As declarações foram feitas durante um encontro informal com jornalistas e fazedores de opinião, no âmbito da aprovação do Orçamento Geral do Estado (OGE) para o próximo ano. 

O aumento mencionado, que ainda não foi validado pelos ministérios das Finanças e da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, vai ser feito de acordo com o limite da capacidade financeira disponível do Governo, explicou a governante. 

Quanto a uma possível subida da taxa de inflação em consequência do incremento do salário da função pública, Daves disse que vai depender do estudo de flexibilidade sobre os orçamentos futuros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin