Oficiais reformados das Forças Armadas Angolanas cedem terrenos para agricultura

Os oficiais reformados das Forças Armadas Angolanas (FAA) vão ceder os terrenos que lhes foram oferecidos pelos governos provinciais, para o desenvolvimento da agricultura e outros projetos.

São no total 46 mil hectares de terras aráveis, que poderão agora ser rentabilizadas, numa iniciativa da Rede Camponesa e da Liga de Militares de Angola na Reforma.

A iniciativa está ser conduzida pela Rede Camponesa, uma cooperativa agrícola, e pela Liga de Militares de Angola na Reforma (LIMIAR). Será disponibilizada mão-de-obra para o aproveitamento dos terrenos, fertilizantes e todas as tecnologias necessárias.

Para além da preparação das terras, está também a ser criado um mercado para venda dos produtos gerados pelo aproveitamento dos terrenos de cultivo, com localização prevista para a vila de Kifangondo, em Luanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique regista cerca de 1.9 milhão de pessoas em insegurança alimentar

Moçambique regista cerca de 1.9 milhão de pessoas em insegurança alimentar

O Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional (SETSAN) informou que cerca de 1.9 milhão de pessoas poderão estar em…
Japão doa mais de 70 milhões a Timor-Leste para infraestruturas

Japão doa mais de 70 milhões a Timor-Leste para infraestruturas

O Governo do Japão doou, em 2021, 77 milhões de dólares americanos (68 milhões de euros) ao Governo de Timor-Leste.…
Angola: PGR registou 700 novos processos-crime em 2021

Angola: PGR registou 700 novos processos-crime em 2021

O Procurador-Geral da República de Angola, Hélder Pitta Grós, declarou que foram instaurados cerca de 700 novos processos-crime em 2021.…
Moçambique: Governo assegura expansão de abastecimento de água

Moçambique: Governo assegura expansão de abastecimento de água

O Governo moçambicano informou que vai trabalhar, em coordenação com o setor privado, para a expansão da rede pública de…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin