Portugal extradita ex-Presidente dos Transportes de Angola

O antigo Presidente do Conselho de Administração da Empresa de Transportes Colectivo e Urbano de Luanda (TCUL), Abel Cosme, foi extraditado por Portugal para Angola. O arguido era procurado pela justiça angolana desde que fugiu para Portugal, em 2018, tendo dito que a deslocação tinha como objetivo tratar de problemas cardíacos. 

O também ex-diretor-geral da Unicargas E.P. foi constituído arguido pela Procuradoria-Geral da República num processo relacionado com desvio de fundos, suspeita da prática de branqueamento de capitais, corrupção, peculato e associação criminosa. 

Comes encontra-se envolvido no “Caso CNC” (Conselho Nacional de Carregadores). O julgamento deveria ter ocorrido em 2019, no mesmo processo que condenou o antigo ministro dos Transportes de Angola, Augusto Tomás. No entanto, acabou por fugir para Portugal. 

As acusações estão ligadas à gestão do visado na Unicargas E.P., através da qual terá constituído uma empresa privada de serviço de táxi. Abel Cosme acabou por ser detido pelas autoridades portuguesas em janeiro deste ano, depois de o seu nome aparecer no “alerta vermelho” da Interpol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin